A THAKURJI E O FIO DE CABELO BRANCO

Rússia
08 Maio, 2015



Dê sempre amor e carinho para Thakurji, fazendo vigraha seva. Fazendo isso Thakurji começará a falar com você: “Ah, você está indo ao mercado? Então me traga uma banana!” Você pode argumentar: “Mas eu não tenho dinheiro...” E Thakurji lhe dará dinheiro.
E se você Lhe perguntar: “Onde Você arrumou este dinheiro??” Ela dirá: “Ah, aquele dia que aquele seu amigo veio aqui, ele colocou essa doação junto aos Meus pés de lótus e eu escondi essa doação de você e pensei: ‘É melhor eu ficar com esse dinheiro...’” Ela tem muito amor e afeição. Portanto a própria Thakurji lhe dará dinheiro para que você A sirva.

As vigrahas não são meras Deidades e sim o próprio Krsna, o filho de Nanda Maharaj. E Ela está sempre feliz. Para nossos olhos materiais, achamos que Thakurji é somente feita de madeira, metal, etc. Mas não.

Para entenderem isso, contarei uma história.

Em um reino havia uma Thakurji de Sri Visnu, que carrega todos os itens em seus quatro braços: sanka, cakra, padma e maça. E havia também um brahmana idoso que adorava aquela Thakurji. E havia também o rei do local que, todos os dias de manhã bem cedo, costumava ir ao templo para ter o darsan da Thakurji de Sri Visnu.


Logo ao chegar ao templo pela manhã o rei oferecia para a Thakurji uma belíssima guirlanda de flores. E então, no fim do dia, o rei voltava ao templo e, quase na hora do templo fechar, o pujari brahmana retirava a guirlanda da deidade e a oferecia ao rei. Isso acontecia todos os dias: pela manhã o rei oferecia a guirlanda para Thakurji e a noite o pujari lhe dava os remanentes da guirlanda.

Um belo dia, como sempre, o rei ofereceu a guirlanda para Thakurji mas à noite, contudo, o rei enviou um mensageiro ao templo para avisar o pujari dizendo: “Hoje não poderei ir ao templo pois estou muito ocupado.”

Neste momento o pujari pensou: “Que excelente oportunidade terei hoje de receber esta belíssima guirlanda de prasada!” Pois as guirlandas que o rei oferecia à Deidade eram muito belíssimas e atraentes, caríssimas, e não guirlandas comuns.

Seria como se o presidente do país fosse ao templo e oferecesse uma guirlanda à Deidade. Por ele ser o rei, as guirlandas que ele oferecia eram muito caras, belas e atraentes. Com certeza aquela não era uma guirlanda como a dos demais cidadãos, não seria uma guirlanda de 5 rúpias (risos).

O pujari, então, pensou: “Hoje é o meu dia de sorte! Ficarei com os remanentes da guirlanda da Thakurji!” Diante da ausência do rei, quando as portas do templo estavam quase se fechando o velho pujari retirou a guirlanda da Thakurji e a colocou ao redor do seu próprio pescoço. Foi neste momento que o pujari ouviu o mensageiro do rei bradando: “O rei está chegando! O rei está chegando!”.

O pujari, então, congelou de medo: “Ó meu Deus! O que faço agora? Já aceitei os remanentes da Thakurji! A guirlanda já está no meu pescoço...!” E, sem pensar muito, rapidamente, recolocou a guirlanda na Thakurji e reabriu as portas do templo.

O rei entrou no templo e fez suas stav stutis (orações) para a Deidade, como fazia todas as noites e, antes de fechar o templo, conforme era o costume, o pujari entregou ao rei a guirlanda daquele dia.

Ao sentir o perfume da guirlanda o rei disse: “Ó, hoje em especial esta guirlanda está incrivelmente mais perfumada do que todas as outras vezes! Que perfume doce e extraordinário!!” E, muito satisfeito e feliz, o rei foi para o seu palácio.

Ao chegar em seus aposentos reais, o rei ofereceu aqueles remanentes para a rainha. Ao sentir o perfume da guirlanda a rainha disse: “Ó! Hoje a fragrância da guirlanda prasada está extraordinária!” Ambos, rei e rainha, estavam muito felizes pensando: “Hoje, com certeza, nossa Thakurji ficou muito satisfeita!”

Contudo, a rainha ao admirar a beleza da guirlanda notou ali um fio de cabelo branco e ficou muito surpresa: “Por que haveria um fio de cabelo branco no meio da guirlanda? De onde veio isso??”

Saibam que, de acordo com o vaisnav suddha sadacar (o bom comportamento dos vaisnavas) somente é considerado puro (pavitro) o fio de cabelo ainda ligado ao couro cabeludo. Tão logo o mesmo fio de cabelo caia da cabeça, desligue-se do corpo, o sastra diz que ele torna-se impuro (apavitro). Portanto, também com base nisso a rainha se perguntava: “Mas então por que há um fio de cabelo na guirlanda?? Isto significa que a guirlanda está impura!”

A rainha então perguntou para o rei: “Rei, você notou este fio de cabelo na guirlanda? De onde veio isso?” Como ela era muito inteligente, disse ainda: “Certamente o idoso pujari de cabelos brancos usou a guirlanda antes de dá-la para você!” E o rei respondeu, indignado: “Impossível! Eu mesmo vi o pujari retirando a guirlanda da Deidade e, somente então ele deu-a para mim!”. A rainha disse: “Não, não, esse pujari fez alguma coisa errada... Vá perguntar para ele.”

O rei, então, voltou ao templo e perguntou para o pujari: “He pujari, explique de onde veio este fio de cabelo branco que está na guirlanda?” O pujari brahmana ficou com muito medo e, tremendo, respondeu: “Ora, esse fio de cabelo branco é da Thakurji!”

O rei então disse: “Como assim??!! A Thakurji agora tem cabelos brancos? Onde já se viu!! As Thakurjis são sempre jovens, nunca envelhecem. Como seria possível terem cabelos brancos??!! Os cabelos das deidades são sempre negros, belíssimos! Nila kuntalam, sempre negros e encaracolados. Pujari, fale a verdade, de onde veio este fio de cabelo branco? Ele deve ser SEU!”

O pujari estava com muito medo: “Ó meu Deus, se eu conto para o rei o que fiz, ele mandará cortarem meu pescoço, pois o que eu cometi foi uma ofensa séria!...”

De acordo com o sastra, vaiddhi marga, você não pode dar os seus remanentes para Thakurji.

Diante disto, o pujari manteve sua posição: “Rei, este fio de cabelo branco É da Thakurji!”

O rei respondeu: “Ok, hoje já está tarde, mas amanhã analisarei todo o cabelo da Thakurji e verei se Ela tem mesmo cabelos brancos e se você estiver mentido para mim lhe darei uma punição muito severa!”

O pujari passou a noite inteira desesperado, agarrado aos pés de lótus da Deidade orando: “Ó Thakurji! Você sabe de tudo, sabe da minha situação! Por vinte anos eu servi a Seus pés de lótus e amanhã tudo acabará, pois o rei cortará a minha cabeça fora!” E o pujari idoso chorou e chorou a noite inteira, agarrado aos pés da Thakurji. E então, Thakurji falou para ele: “He pujari, não se preocupe. No Bhagavad Gita Eu falei: ‘Qualquer coisa que Meu bhakta faça, isso é chamado de perfeito. O meu devoto nunca perecerá, na me bhaktah pranasyati (BG 9.31)’ Nunca se esqueça disso, eu fiz esse voto. Amanhã provarei para o rei que o fio de cabelo é Meu, pois você afirmou isso para ele. Se você disse que este fio de cabelo branco é meu, então ele É!”

Na manhã seguinte o Rei chegou ao templo e foi a investigar o cabelo da Thakurji. Conforme ele analisava o cabelo da Deidade, só havia cabelos negros ali, pois como vocês sabem, a Thakurji possui cabelos completamente negros e belos. Contudo, ao procurar um pouco mais o rei encontrou um fio de cabelo branco, um único fio, dentre todos os cabelos negros. Ao encontrá-lo o rei pensou: “Este fio de cabelo deve ser falso, deve ter sido colocado aqui só para me enganar...” A fim de descobrir a verdade o rei, então, puxou com força o fio, arrancando aquele único fio de cabelo branco da Deidade. Ao fazer isso, o couro cabeludo da Thakurji começou a sangrar, pois quando se arranca um fio de cabelo à força, é isso o que acontece. Da cabeça da deidade começou a escorrer muito sangue e o altar ficou repleto do sangue da Thakurji.

Por conta disso o rei começou a chorar: “Thakurji vigraha é sac-cit-ananda. Ó meu Deus, eu cometi uma grave ofensa aos pés de lótus da Thakurji...” O rei, prestando inúmeros dandavat pranam para Thakurji e fazendo stav stutis, dizia: “He Prabhu, por favor, dê-me a Sua misericórdia! Por favor! Eu nunca mais farei isso. Qualquer coisa que Seu pujari disser eu acreditarei imediatamente e nunca mais duvidarei dele. Mas, por favor, dê-me Sua misericórdia! Eu pensei equivocadamente que o fio de cabelo branco era do pujari, mas agora vejo que ele é Seu...”

Então, a Thakurji começou a falar: “Primeiramente, você sabia que está nos sastras que Eu possuo cabelo branco?”
O rei disse: “Eu não conheço os sastras...”
E a deidade falou: “Mas sim, está explicado no Srimad Bhagavatam e no Hari Vamsa Purana que o Senhor Visnu possui um fio de cabelo branco. Portanto, sim, este fio de cabelo que você arrancou é Meu.”

O rei agora segurava suas orelhas (em sinal de arrependimento) e dizia chorando: “Nunca mais duvidarei do Seu pujari e nem de Você!... Seu pujari é muito honesto, além de ser muito querido e próximo de Você!... Por favor, Thakurji, dê-me as Suas bênçãos. E, para que perdoe a minha ofensa (aparadha) hoje farei diversos tipos de preparações, em especial arroz doce, para Você.”

Nossas escrituras dizem que se você preparar arroz doce e oferecer para Thakurji, Ela ficará muito satisfeita com você e, por conta disso, destruirá todas as suas ofensas, aparadhas. Pois Thakurji fica sempre muito feliz com arroz doce.

Então, Thakurji falou: “Rei, estou muito satisfeito com você. Mas na verdade aquele fio de cabelo branco que estava na guirlanda não era Meu não, e sim do pujari.”

O rei então disse: “Como assim?! Mas se o cabelo branco que achei era Seu e agora Você diz que aquele na guirlanda era do pujari...”

A Thakurji explicou: “Veja rei, tudo o que o Meu devoto afirma, eu confirmo. Qualquer coisa que o Meu devoto puro diga, aquilo é a mais pura verdade. Na me bhaktah pranasyati. Eu disse no Gita: ‘He Arjuna, o Meu devoto nunca cairá!’ Portanto eu tenho um compromisso com a palavra do Meu devoto. Por conta do pujari ser Meu devoto, como ele disse que o cabelo era Meu, Eu vim comprovar isso.”

E então o rei pediu explicações ao pujari de como aquele fio de cabelo tinha chegado até a guirlanda. E o pujari contou: “O que houve foi que eu tirei a guirlanda da Thakurji, coloquei-a no meu pescoço; daí quando soube o que senhor rei viria eu devolvi a guirlanda para a Thakurji e depois a entreguei ao senhor rei...”

O rei disse: “He pujari, perfeito. Eu vi como você é tão próximo e querido da Thakurji, tanto que isso fez com que Ela mantivesse o Seu voto: o que quer que o suddha bhakta diga é verdade, pois Thakurji sustenta a palavra do devoto puro.”

Bolo Vrndavan Bihari lali ki jay!
Jay jay Sri Radhe!
Radhe Govinda bolo Radhe Govinda!