OS TIPOS DE KATHA

Rio de Janeiro, RJ/Brasil
22 Janeiro, 2015 (Noite)



Já faz sete dias que nós estamos reunidos aqui e nestes sete dias foram glorificados, primeiramente Srila Bhaktivedanta Vamana Goswami Maharaja, onde falei sobre sua vida transcendental e depois também foi falado sobre Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja, nosso querido e eterno gurudeva, a história de sua vida e suas contribuições, onde diferentes devotos e devotas fizeram isso sob seus diferentes pontos de vista, segundo seus humores e suas capacidades e cada um deles ofereceu puspanjali aos pés de lótus de Srila Gurudeva.

Porque Krsna-katha e bhakta-katha, falar de Krsna e falar dos devotos é uma atividade ilimitada.  Um vaisnava explica algo muito lindo, ele diz assim: 'Se eu conseguir o céu inteiro como se fosse um pedaço de papel, e se eu conseguir todo o oceano como se fosse a tinta e os Himalaias como se fossem a caneta eu viveria a vida inteira glorificando esses grandes vaisnavas, a sua vida, a sua contribuição mas eu nunca chegaria ao fim." E isso é verdade, como é possível que nós consigamos encerrar esse assunto, glorificando a história da vida e contribuição desses sudha bhaktas, devotos puros? Isso é impossível. Assim como a história daquela andorinha que tentou beber toda a água do oceano, é possível isso? Não, não é possível. Da mesma forma, como é possível que  uma alma condicionada consiga glorificar krsna-katha e falar da história da vida e das contribuições  de um sudha vaisnava? A única coisa que podemos fazer é falar o que ouvimos de guru e vaisnavas. É isso que nós podemos fazer. (Verso)

Este verso em sânscrito fala de alguém que esteja trilhando o caminho de karma, karma-kanda. Na verdade esse verso diz, alguns trilham o caminho de karma e outros trilham o caminho de jnana, um tipo de conhecimento. Nós vamos carregar os sapatos dos vaisnavas sobre a nossa cabeça. Padatram, que significa os sapatos que usamos para proteger os pés dos espinhos, neste contexto deste verso significa que nós sempre seguimos os passos de guru e vaisnavas.

Mas quem pode falar hari-katha? Três pessoas podem falar hari-katha.

A primeira delas é aquela que pode ler de um livro ou que tenha ouvido hari-katha aqui e ali e, segundo sua capacidade, repete esse hari-katha. Esse tipo de katha chama-se kanistha-katha, ou seja, um katha de nível inferior. E esse kanistha-katha não tem nenhuma shakti, nenhuma potência.

A segunda pessoa que pode falar hari-katha é o madhyama-adhikari,é a categoria madhyama, que através de madhyama-katha, esse devoto dessa categoria presta serviço a guru e vaisnavas e também pratica o seu bhajana e sadhana, a sua vida espiritual, e com isso ele tem alguma experiência nesse hari-katha.

E o terceiro é o uttama-hari-katha, ou seja, o hari-katha que vem direto de Goloka Vrndavana, assim como no caso do hari-katha de Sukadeva Gosvamipada. E foi por isso que quando Sukadeva Gosvamipada apareceu naquela assembléia de grandes rsis reunidos diante de Pariksit Maharaja, todos eles se levantaram e prestaram respeitos a Sukadeva Gosvamipada. E foi assim que Sukadeva Gosvamipada falou o Srimad Bhagavatam diante de Pariksit Maharaja e todos aqueles santos. 

Então isso quer dizer que há três categorias de oradores, os da categoria kanistha, os da categoria madhyama e os da categoria uttama. Então essas três categorias de oradores tem a ver com graus, A, B ou C. Da mesma maneira, há três categoria de ouvintes. Alguns ouvintes nem chegam a ouvir, o som entra por aqui, sai por aqui, na verdade eles nem tem orifício aqui e por isso eles não conseguem ouvir.

A segunda categoria é daqueles que ouvem com um ouvido e o som sai pelo outro ouvido. Não toca o coração. E a terceira categoria é daqueles que ouvem e esse som vai para o seu coração.

Na Índia, em hindi, eles também falam dessas três categorias de ouvintes, sendo que o primeiro é o sotha, aquele que quando vem ao hari-katha, se encosta na parede e começa a dormir. A segunda categoria de ouvintes chama-se sorotha, é daquelas pessoas que ficam sentadas lá atrás da audiência, as vezes estão com sua japa mala na mão ou elas ficam de bate-papo o tempo todo com alguém do lado. Na Índia, um instrumento usado para cortar a noz betel também se chama sorotha. Essa pessoa da segunda categoria, ela também não ouve, ela fica só sentada lá, batendo papo, perguntando como você está, tudo bem... A terceira categoria chama-se shrota, ou seja, aquela pessoa que ouve da maneira adequada, que presta atenção e deixa o som entrar pelo seu ouvido indo até seu coração e depois tenta compreender o que o sadhu falou.

Então, três categorias de ouvintes, três categorias de oradores mas o melhor orador é aquele que vem de Goloka Vrndavana. Mas como você vai fazer pra saber de onde ele vem?

O que fazer? Como se faz pra saber quem é esse melhor orador? Pra você saber o seu coração precisa estar limpo e asseado, livre de todo tipo de anarthas, de todas as coisas indesejáveis. Sem isso, você não vai conseguir perceber, compreender quem é esse orador que vem de Goloka Vrndavana. Como exemplo, Sukadeva Gosvamipada quando chegou na assembléia de Pariksit Maharaja, algumas pessoas ali o criticaram pois ele estava completamente nu e com o cabelo totalmente desalinhado, descabelado. Então algumas pessoas chegaram a jogar poeira nele e a fazer piadas dele, porque o coração dessas pessoas estava cheio de anarthas.
bhaktya sanjataya bhaktya
Bhakti vem do coração do suddha-bhakta, do devoto puro. Se você tem realmente bhakti, você vai poder compreender, perceber a outra pessoa que também tem bhakti e pode compreender o seu hari-katha. Mas quem não tem bhakti não consegue reconhecer, muito menos recomendar esse orador.  Srila Bhaktivinoda Thakur escreveu um artigo dizendo que vaisnava é aquele que conhece o vaisnava. Pra você saber quem é vaisnava, você terá que ser um bhakta, um devoto e assim você vai poder reconhecê-lo e recomendá-lo. Ao passo que um não-devoto não vai poder reconher, muito menos recomendá-lo. Por exemplo, um médico pode reconhecer outro médico. Um materialista qualquer, que não tenha noção alguma de Medicina, como é possível que ele vá recomendar um médico? É verdade ou não? O médico pode reconhecer a outra pessoa, se ela é médico de verdade ou não.

Srila Bhaktivinoda Thakur escreveu esse artigo comentando que o vaisnava pode reconhecer outro vaisnava. Ao passo que o avaisnava, não-devoto, não pode de forma alguma reconhecer ou recomendar quem é vaisnava. Isso significa que, na verdade, só o maha-bhagavata conhece quem é maha-bhagavata.

Logo que comecei a morar no ashram em Mathura, depois da caminhada matinal de Srila Gurudeva, quando ele chegava na Sri Kesava ji Gaudiya Math logo era rodeado por seus devotos. Então um dia cheguei perto de gurudeva e disse: 'Ó gurudeva, o senhor é um maha-bhagavata'. E gurudeva olhou pra mim, sério, com seus olhos arregalados e falou: 'Vem cá'.

Então comecei a sentir meu corpo todo tremendo, vendo os olhos enormes de Srila Gurudeva e pensando se eu tinha cometido alguma ofensa. Então gurudeva disse: 'Como você sabe que eu sou maha-bhagavata?' E começaram a cair lágrimas dos meus olhos e pensei: ´Ó, realmente cometi uma ofensa.'

Srila gurudeva deu um tapinha suave em mim  e falou: 'Como você sabe disso?' Ao que eu respondi: 'Ouvi algumas pessoas dizendo que o senhor é um maha-bhagavata.' Então Srila gurudeva explicou: 'Isso não é verdade. Pra você saber se eu sou um maha-bhagavata, você vai ter que primeiro compreender profundamente quem eu sou. Sem você ter essa percepção, essa compreensão, essa experiência, tudo que você falar vai ser somente especulação. Talvez eu seja, talvez não seja. Mas você poderá ter algum entendimento de quem é maha-bhagavata se você estudar os sastras.'

O kanistha adhikari é aquele que não tem conhecimento do sastra, que não segue regras e restrições e tem a fé muito débil. O madhyama adhikari é aquele que tem uma boa noção do sastra, mas não tanto assim. Porém ele tem a fé firme. Ao passo que o uttama adhikari, segundo descreve o Sri Caitanya Caritamrta, que descreve essas três categorias de devotos, o uttama adhikari conhece todo o tattva sidhanta. Ele é super perito em todo o tattva sidhanta, tem uma fé super firme na sua deidade adorável. O barômetro pra você saber em que nível você está é medir quanta fé, quanta sraddha você tem. E assim como a fé débil está relacionada ao kanistha, o madhyama tem fé firme. Pode ser que o madhyama não consiga dar a conclusão perfeita dos sastras, mas o uttama adhikari tem uma fé fortíssima  e o conhecimento perfeito do sastra. Por exemplo, como você percebe que o arroz já está cozido? Você pega um grãozinho, pressiona com o dedo e, assim, você vai ver se ele está cozido ou não. Então você espera mais um pouco, faz o mesmo teste, e então você sabe, ah agora sim, está cozido. Da mesma maneira, segundo o sastra, você pode reconhecer quem é quem, quem é uttama, quem é madhyama, quem é kanistha. E quando você se tornar um uttama, você saberá quem é uttama. Você vai compreender quando você adquirir conhecimento do sastra. Por isso, você tem que ler o sastra todo dia. Como Srila Gurudeva fazia, todos os dias ele passava de oito a dez slokas para os devotos, os bramacaris aprenderem e ele sempre falava pros bramacaris que eles tinham que ler todos os dias a Gita, o Srimad Bhagavatam, Upadesamrta, Sri Siksastakam, etc.

Mas como é que vocês vão saber quem é quem, quem é kanistha, madhyama ou uttama? Vocês tem uma maneira de fazer isso, vocês devem ler o Caitanya Caritamrta, sempre. Se o fizerem, todas as suas dúvidas serão sanadas. Sem ler o Caitanya Caritamrta vocês não  conseguirão entender nada de tattva siddhanta. Se Krsna der Sua misericórdia, então a pessoa pode adquirir tattva siddhanta. Sem a misericórdia de Krsna ninguém consegue conhecer o que vem a ser guru tattva,  tattva siddhanta.
sri krishna-lila-kathane sudaksham
audarya-madhurya gunais ca yuktam
varam varenyam purusham mahantam
narayanam tvam shirasa namami
Esse é o pranam mantra de Srila Gurudeva que diz: Eu prostro a minha testa aos pés de lótus de Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja, que é muito perito em glorificar audarya madhurya lila katha. Ele explica perfeitamente Krsna lila katha, que não é diferente de Goura lila katha, e ele é dotado de magnanimidade e doçura.

E nós podemos observar como, na maioria dos outros templos, os discípulos ficam com seu mestre espiritual, mas no caso de Srila Gurudeva, mesmo os discípulos de outros acaryas ficam sempre na companhia de Srila Gurudeva. Isso porque Srila Gurudeva tem audharya, ele é magnânimo. Podemos ver como discípulos de Srila Bhakti Pramode Puri Gosvami Maharaja, discípulos de Srila Bhakti Rakshak Sridhara Gosvami Maharaja, de Srila Gour Govinda Maharaja e de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada, todos eles são completamente rendidos a Srila Gurudeva, o que é muito raro de se ver em outras missões, isso porque Srila Gurudeva tem essa magnanimidade extraordinária.

E a outra característica da magnanimidade de nosso querido Srila Gurudeva é que na Sri Kesava ji Gaudiya Math, ele sempre celebrava o avirbhava  e o tirobhava, o aparecimento e o desaparecimento de todos os demais acaryas, de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada, de Srila Gour Govinda Maharaja, de Srila Bhakti Rakshak Sridhara Gosvami Maharaja, de Srila Bhakti Pramode Puri Gosvami Maharaja, ao passo que em outros templos há uma certa discriminação, ah, ele não pertence ao nosso grupo,  talvez eles façam alguma celebração, talvez não, mas quanto a Srila Gurudeva ele glorifica o avirbhava e o tirobhava de todo guru-varga. Por exemplo, o avirbhava e o tirobhava de Srila Bhaktivedanta Kesava Gosvami Maharaja, por acaso são celebrados esses dois dias na ISKCON? Não sei dizer, mas decidimos fazer isso porque Srila Bhaktivedanta Kesava Gosvami Maharaja é o sannyasi guru de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada. O avirbhava e o tirobhava de Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaja é celebrado pelos outros templos? Não sei dizer, mas Srila Gurudeva pessoalmente celebrava o avirbhava e o tirobhava mahotsava de Srila Bhakti Rakshak Sridhara Gosvami Maharaja. Isso porque Srila Gurudeva tem essa qualidade super extraordinária, que é a sua magnanimidade e a sua doçura.

O hari-katha doce de Srila Gurudeva não era considerado super excelente apenas por seus irmãos espirituais, mas também por seus tios espirituais, que sempre estavam ávidos por ouvir seu hari-katha. Como por exemplo, Srila Bhakti Jivana Janardhana Gosvami Maharaja que é discípulo de Srila Bhaktisiddhanta Saraswati Prabhupada, sempre vinha a todos os kartikas para ouvir o doce hari-katha de nosso Srila Gurudeva e ele é um maha-bhagavata. Ele sempre estava vertendo lágrimas e falando: 'Ha Radhe! Ha Radhe! Ha Vrsabanu-nandini Srimati Radhika!' E quando fazia parikrama, ele nunca usava sapatos ou chinelos. Seus pés estavam sempre cheios de rachaduras e sangravam, mas mesmo assim ele jamais usava sapatos no vraja-mandala parikrama, em Giriraj Govardhana, Radha-kunda, Varsana. E ele nem usava camiseta e rolava no chão, chorando, chorando. Esse maha-bhagavata quando dava hari-katha citava muitos slokas, como Caitanya Mahaprabhu ensina que  quando se está falando hari-katha se deve apresentar evidências do sastra. Hari-katha não é ficar fazendo gracinhas e piadas, é preciso demonstrar a evidência do sastra, Gita, Bhagavatam, Puranas, Upanisads. Da mesma maneira, Srila Bhakti Jivana Janardana Gosvami Maharaja quando dava hari-katha citava muitos slokas, ele era discípulo de Srila Prabhupada mas ele ouvia o hari-katha de Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja.

Ainda mais, de toda Vrndavana, de Giriraj Govardhana, de Jagannatha Puri,  todos os panditas se sentiam muitíssimo atraídos pelo hari-katha de Srila Gurudeva. E foi por isso que os vrajabasis de certa região de Vrndavana deram a Srila Gurudeva o título de yuga acarya.

E especialmente na Sri Rupa Sanatana Gaudiya Math, quando gurudeva celebrava o dia do desaparecimento de Sri Rupa Gosvamipada, ele convidava todos os panditas de altíssima classe de Mathura, Vrndavana, panditas estes que possuíam títulos universitários, muito eruditos e todos eles davam um belo hari-katha, glorificando Rupa Gosvamipada. Mas por último, Srila Gurudeva quando dava hari-katha surpreendia a todos, que ficavam com seus olhos e ouvidos bem abertos, porque quando gurudeva explicava esse verso glorificando Srimati Radhika, todos ficavam maravilhados, pensando: 'De onde ele tirou esse verso?Como ele consegue falar assim tão lindamente?'

Quando Srila gurudeva glorificava Rupa Gosvamipada ele falava sobre como Sri Rupa Gosvamipada recebeu a misericórdia de Sri Caitanya Mahaprabhu. Por ele ter recebido essa misericórdia ele pode explicar perfeitamente as duas categorias de raganuga bhakti, uma que é classificada como sadhaka-svarupa e outra que chama-se siddha-svarupa. Na fase de sadhana, o sadhaka canta o santo nome com seu corpo de sadhaka, conforme explica Srila Srinivasa Acarya no Śrī Śrī Ṣaḍ Gosvāmi Aṣṭakam
saṅkhyā-pūrvaka-nāma-gāna-natibhiḥ kālāvasānī-kṛtau
nidrāhāra-vihārakādi-vijitau chātyanta-dīnau cha yau
rādhā-kṛṣṇa-guṇa-smṛter madhurimānandena sammohitau
vande rūpa-sanātanau raghu-yugau śrī-jīva-gopālakau
Nesse sadhana, o sadhaka, com seu corpo de sadhaka, deve cantar um número fixo de voltas, 64 voltas, ele deve prestar pranams, reverências ao guru e aos vaisnavas e aos dhamas. Ao passo que com sua siddha-svarupa ele irá praticar sadhana e bhajana e sua vida espiritual está completamente livre de todos os anarthas e aos poucos ele vai perceber a sua forma constitucional transcendental e pura.

Srila Raghunatta dasa Gosvamipada ficava completamente absorto em sua própria siddha-deha, sua forma transcendental. Ele praticava o seu sadhana bhajana às margens do Radha-kunda. E ele pensava que seu guru era Srila Rupa Gosvamipada, apesar dele ter recebido diksa de Sri Yadunandana Acarya. Quando ele fazia o seu guru vandanam, absorto na sua forma transcendental, ele orava assim para Rupa manjari: 'Ó Rupa manjari, eu sei que você é uma mocinha casta, você nunca olha pro rosto de ninguém mais além do seu marido. Mas eu sei que o seu marido está fora de casa há alguns dias, então como pode estar nos seus lábios essa marquinha? Com certeza, foi um papagaio bem grande que tocou os seus lábios, pensando que os seus lábios são uma semente de romã.' Assim Srila Raghunnata dasa Gosvami, absorto em sua siddha-deha, glorificava Srila Rupa.

Dessa maneira, os panditas ouvindo os slokas que Srila Gurudeva citava, pensavam: 'Onde foi que Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja encontrou esses slokas?' e a cabeça deles começava a girar. E além disso, quando Srila Gurudeva dava goura-katha todos os panditas vinham ouvi-lo, especialmente quando Srila Gurudeva falava sobre a contribuição especial de Srila Rupa Gosvami e citava esse verso onde ele fala da magnanimidade e munificência de Sri Caitanya Mahaprabhu:
anarpita-carim cirat karunayavatirnah kalau
samarpayitum unnatojjvala-rasam sva-bhakti-sriyam
harih purata-sundara-dyuti-kadamba-sandipitah
sada hridaya-kandare sphuratu vah saci-nandanah
Isso significa, se você não buscar a companhia desses maha-bhagavatas e ouvir hari-katha como será possível você ter cobiça transcendental? Sem ouvir o hari-katha deles, jamais você desenvolverá isto.

Então por isso que Srila Raghunatta das Gosvami diz, se você realmente quer mergulhar no divino amor conjugal de Sri Radha-Krsna você deve seguir três princípios:

1° - Você deve se render completamente aos pés de lótus de Srimati Radhika.

2º  Você tem que permanecer, viver em Vraja. Mas onde, em Vraja? Você vai estar em Vraja onde Radha Krsna realizam Seus doces passatempos. E onde você não deve ficar em Vraja? Nos locais onde Candravali fica. Sem morar em Vraja, como é possível que esse humor de Srila Raghunatta das Gosvami venha ao seu coração?

3º - Você sempre tem que estar na companhia de elevadíssimos vaisnavas que sejam braja rasikas.

Por isso que Srila gurudeva estabeleceu que pelo menos uma vez por ano nós devemos ir ou ao vraja-mandala parikrama ou ao navadvip dhama parikrama. Pelo menos passar um mês por ano. E por isso que Srila Gurudeva manifestou o parikrama de Vrndavana e de Navadvip dham. Ele também nos levou para Jagannatha Puri dham porque lá Sri Caitanya Mahaprabhu manifestou o seu elevadíssimo vipralambha bhava, o seu sentimento de saudade.

Srila Raghunatta das Gosvami diz que sem viver em Braj ou em Navadvip dham como você vai conquistar esse humor pra você? Conforme Srila Rupa Gosvami também explica, você deve não apenas com o seu corpo mas também em pensamento você deve viver em Braj. Apenas Srila Bhaktivinoda Thakur fez uma concessão dizendo que você pode permanecer em Braj só em pensamento, ao praticar seu bhajana. Os outros vaisnavas não deram essa concessão. Da mesma forma o nosso querido Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada ele deu essa concessão aos seus discípulos, que eles poderiam cantar 16 voltas, e não as 64.

Todos devem seguir os passos desses vaisnavas rasikas de altíssima classe, sem o hari-katha deles ninguém conseguirá cultivar esses humores elevados.

Uma devota  pergunta: O senhor poderia traduzir o sloka que Srila Gurudeva falou?

O verso a respeito de Srimati Radhika, que é um verso de Srila Prabhodananda Sarasvati, diz assim:

Eu não sou qualificado para glorificar Srimati Radhika. Eu, na verdade, presto meus pranams à direção onde Srimati Radhika está. (Srila Gurudev fala fala isso com toda humildade). Krsna, segundo todos os sastras, Vedas, Puranas, Upanisads, Bhagavatam, é a própria Suprema Personalidade de Deus, mas o que Krsna faz? Ele está tentando apaziguar o mana de Srimati Radhika. Radha e Krsna se encontraram às marges do Radha kunda. Há duas categorias de mana, retu mana e ahaituki mana. A primeira categoria é quando Ela fica com ciúme raivoso mas por algum motivo e a segunda categoria é quando Ela não tem motivo algum pra fazer isso. Então um dia Ela manifestou esse ahaituki mana, ciúme raivoso sem nenhum motivo. E aí Srimati Radhika deixou Krsna e foi pro outro lado do Radha-kunda. Mas Krsna não conseguia apaziguá-la de forma alguma porque ela manifestou o seu dujaya mana, que significa que esse mana Dela é inconquistável. Apesar de todos os esforços Krsna não conseguiu apaziguá-la e todos os Seus esforços foram em vão. Por isso Krsna começou a verter lágrimas. Enquanto isso acontecia, uma brisa suave trouxe a fragrância que vinha do corpo de Srimati Radhika. A fragrância de Srimati Radhika tocou na roupa Dela e a brisa trouxe esse aroma pra perto de Krsna, brisa essa que brincava com a roupa de Srimati Radhika. Então Krsna começou a glorificar essa brisa: 'Ó brisa, você é tão sortuda! Olhe a minha situação, eu não consigo estar na frente de Srimati Radhika, pois ela está em dujaya mana, mas você é tão afortunada que agora está brincando com a roupinha dela.' Então quando essa doce fragrância vinda da roupa de Srimati Radhika chegou ao nariz de Krsna, Ele disse: 'Ah, agora finalmente alcancei sucesso na minha vida.'

Srila Gurudeva ki jay! Jay jay Sri Radhe!

(Transcrição e Edição: Candra Didi e família - Pirenópolis)