RAZÕES PARA A VINDA DE MAHAPRABHU

Santos/SP, Brasil
07 Janeiro, 2016
Caminhada Matinal
Ouça/Baixe (160107_012

śrī-rādhāyāḥ praṇaya-mahimā kīdṛśo vānayaivā-
svādyo yenādbhuta-madhurimā kīdṛśo vā madīyaḥ
saukhyaṁ cāsyā mad-anubhavataḥ kīdṛśaṁ veti lobhāt
tad-bhāvāḍhyaḥ samajani śacī-garbha-sindhau harīnduḥ
Desejando compreender a glória do amor de Radharani, as maravilhosas qualidades dEle que somente Ela saboreia através de Seu amor, e a felicidade que Ela sente quando Ela realiza a doçura do amor; o Senhor Supremo Hari, ricamente dotado das emoções de Radhika, apareceu do ventre Srimati Saci-devi, assim como a lua aparece do oceano. (Chaitanya Charitamrta, Ādi, 1.6)

Svarup Damodar menciona o porquê de Krsna ter vindo nesta kali-yuga na forma de Caitanya Mahaprabhu.

Há três razões aqui que explicam isso neste verso. Em krsna-lila, Krsna saboreou todos os tipos de relacionamentos do coração dos brajbasis: santa, dasya, vatsalya e madhurya-ras (humor de doçura).

Mas Krsna concluiu que Ele não poderia experimentar completamente o humor mais elevado de Srimati Radhika, o limite máximo do amor divino.

Krsna pensava: “Eu sou Bhagavan portanto tenho muitas qualidades. Isto é verdade; todos estão intoxicados com Minha beleza, Minha fragrância. Tudo o que se refere a Mim faz as pessoas ficarem inebriadas. Mas quando olho para Srimati Radhika, me torno completamente confuso. Não posso controlar Minha mente, Minha cabeça começa a girar simplesmente ao sentir o doce aroma do corpo de Srimati Radhika. Neste momento não Me controlo.


yasyah kadapi vasanancala-khelanottha-
dhanyati-dhanya-pavanena krtartha-mani
yogindra-durgama-gatir madhusudano 'pi
tasya namo 'stu vrsabhanu-bhuvo dise ‘pi
Reverências à direção em que se encontra a filha de Sri Vrsabhanu. Quando a brisa que vem dessa direção graciosamente balança a ponta da roupa dEla, o Senhor Krsna, O qual é inalcançável até para os reis dos yogis, considera que Sua vida Se tornou então um grande êxito. (Sri Radha-rasa-sudhanidhi, 2)

Srila Prabhodananda Sarasvatipad explica a fragrância que vem da roupa de Srimati Radhika.

Krsna diz: “Então, quando tal fragrância vem, Me torno completamente inebriado e não Me controlo. Que tipo de prem há no coração de Srimati Radhika?”

Isso porque no mundo transcendental tudo é transcendental. Mesmo a fragrância de Srimati Radhika não é diferente do amor divino de Srimati Radhika. Lá tudo é transcendental. Isto se chama acintya-tattva, uma filosofia inconcebível está lá.

Portanto, Krsna pensa: “Que tipo de prem Srimati Radhika tem por Mim? Porque às vezes Srimati Radhika vê um nuvem de chuva enegrecida e pensa que sou Eu lá. E é por isso que ela tenta abraçar a nuvem de chuva. Se Srimati Radhika vê a árvore tamal, que é enegrecida, Ela pensa que Eu estou lá também. E Ela abraça a árvore tamal só porque tem uma ilusão sobre Mim.

paraspara veṇu-gīte haraye cetana
mora bhrame tamālere kare āliṅgana
A consciência de Radharani é levada pelo som dos bambus, que parecem flauta, ao se balançarem, pois Ela pensa que é o som da Minha flauta. E Ela abraça a árvore tamal, confundindo-a Comigo. (ChaitanyaCharitamrta Ādi-lila 4.251)

Krsna das Kaviraj Gosvami explica que por vezes Srimati Radhika abraça a enegrecida árvore tamal pensando que Krsna está lá. Krsna pensa: “Eu nunca fiz uma coisa dessas!... Eu amo Srimati Radhika, isso é verdade, mas nunca senti este tipo de conflito. Não há essa espécie de coisa no Meu coração. Mas Srimati Radhika está numa loucura transcendental completa. Que tipo de amor existe no coração de Srimati Radhika? 
śrī-rādhāyāḥ praṇaya-mahimā
Quais as glórias do divino amor de Srimati Radhika por Mim!

Esta é a primeira razão [para a vinda de Caitanya Mahaprabhu].

Sobre a segunda razão, Krsna pensa: “O que é a Minha beleza? Srimati Radhika está sempre Me saboreando. Eu sou a visay-vigraha do amor divino mas não posso saborear a Mim mesmo. ... Então, que beleza é essa a Minha que todos saboreiam?
kā stry aṅga te kala-padāyata-veṇu-gīta-
sammohitārya-caritān na calet tri-lokyām
trailokya-saubhagam idaṁ ca nirīkṣya rūpaṁ
yad go-dvija-druma-mṛgāḥ pulakāny abibhran
Querido Krsna, que mulher em todos os três mundos não se desviaria do seu comportamento religioso quando confundida pela doce melodia que sai de Sua flauta? Sua beleza traz bons auspícios para todos os três mundos. De fato, até mesmo as vacas, pássaros e veados manifestam o sintoma de êxtase de arrepio dos pelos quando veem Sua bela forma. (Srimad-Bhagavatam 10.29.40)

Minha beleza, Minha fragrância, o som de Minha flauta, tudo isso intoxica os corações das braj-gopis, mas o que é a Minha beleza?? Todas elas estão ávidas por ter darsan da Minha beleza mas Eu mesmo não sei nada sobre isso”.

Quando Krsna ia pastorear as vacas, as gopis saiam de suas casas e ficavam contemplando a bela forma de Krsna.

aṭati yad bhavān ahni kānanaṁ
truṭi yugāyate tvām apaśyatām
kuṭila-kuntalaṁ śrī-mukhaṁ ca te
jaḍa udīkṣatāṁ pakṣma-kṛd dṛśām
Quando partes para a floresta durante o dia, uma minúscula fração de segundo torna-se como um milênio para nós, pois não Te podemos ver. E até mesmo quando podemos olhar avidamente para Teu belo rosto, tão encantador com seu adorno de cabelos cacheados, nossas pálpebras, que foram elaboradas pelo tolo criador, dificultam esse prazer.(Srimad-Bhagavatam 10.31.15)

E nessa hora as gopis às vezes criticavam Brahma e o amaldiçoavam: “Ei Brahma, você não tem inteligência. Você não sabe criar um corpo humano!... Você manifestou nosso querido Krsna, tudo bem mas como teremos darsan da bela forma de nosso Govinda? Você nos deu somente dois olhos, como é possível ter este darsan com somente dois olhos??” E disseram: “Brahmaji, você tem que morrer! Assim talvez outra pessoa se tornará o criador Brahma e nos dará milhares e milhares de olhos, ouvidos e línguas para podermos ver a beleza de nosso querido Govinda, ouvir o doce som de Sua flauta, Govinda-venu-dhani, e entender os Seus doce e belos passatempos. acyutam karnam eva.

“Precisamos que nos dê milhões e milhões de ouvidos e olhos …”

E Krsna pensou: “Que beleza é essa a Minha da qual as gopis estão sempre saboreando?”

Sobre a terceira razão, Krsna pensou: “Quando Srimati Radhika saboreia Minha beleza, que tipo de realização vem no Seu coração?”

Realização ocorre de uma forma pessoal, emocional, não se pode expressar em palavras. Se você vê a beleza do oceano e eu te perguntar: “O quão o oceano é belo? Você dirá: Este oceano é belo…” Mas você não consegue expressar com palavras nenhum tipo de beleza porque isto se chama “adjetivo”. De acordo com a língua sânscrita, “qualidade” não se pode expressar em palavras. Por exemplo: “flores belas”. Eu não posso explicar o quanto as flores são belas. Porque tal beleza não se pode explicar com nenhuma palavra, é um sentimento e uma realização.

Este sentimento e esta realização vêm do âmago do seu coração.

Portanto, Krsna pensou: “Que tipo de sentimento e realização Srimati Radhikatem dentro de Seu coração?”

E Krsna decidiu experimentar estas três razõesassumindo a compleição e o humor de Srimati Radhika. radha bhava kanti curi kori krsna avatirna hoila navadwipa gaura rupa dhori

Neste verso é explicado que Krsna roubou estas coisas de Srimati Radhika. Porque sua natureza é roubar. Ele rouba tudo: a manteiga, o coração dos brajbasis. 

vraje prasiddhaḿ navanīta-cauraḿ
gopāńganānāḿ ca dukūla-cauram
aneka-janmārjita-pāpa-cauraḿ
caurāgragaṇyaḿ puruṣaḿ namāmi
Ofereço pranama ao maior dos ladrões - que é famoso em Vraja como o ladrão de manteiga, Aquele que rouba as roupas das gopis e que, para os que se abrigaram Nele, rouba os pecados acumulados em muitas vidas. (Sri Cauragraganaya-Purusastakam, 1)

Bilvamangal Thakur compôs este verso sobre como Krsna é um ladrão. Em Braj, Krsna é famoso como o ladrão de manteiga. E Ele rouba o coração das braj-gopis também. E suas roupas. No Srimad Bhagavatam isso é descrito. Aquele que se abriga nos pés de lotus de Krsna, Krsna rouba todas as suas atividades pecaminosas. Portanto, abriguem-se nos pés de lótus de Krsna e Krsna roubará todas as suas atividades pecaminosas!
E devido a natureza de Krsna ser a de roubar, Ele duas coisas de Srimati Radhika: Sua tez e Seu humor, bhav. acyutam karnam eva

E agora Krsna Se cobriu com a compleição corpórea de Srimati Radhika e ninguém poderá saber que Ele é Krsna.

No Srimad Bhagavatam está explicado que nesta Kali-yug, a deidade adorável ou istadev está escondendo Sua tez e tudo mais. Então Krsna agora veio nesta Kali-yug coberto com a compleição clara de Srimati Radhika, Gaur-rup.

E também roubou o humor de Srimati Radhika porque sem o humor de Radhika, Krsna não pode saborear o mais elevado humor de Srimati Radhika.

Tudo depende do seu humor, bhav. Este sentimento é muito importante. Para tudo que você faz, você precisa de humor. Sem este humor não se pode saborear nada.