AS GLÓRIAS DE SVAMI PRABHUPADA

Govardhan, Índia
27/10/2014
Mês de Kartik

Hoje é um dia super excelente e muito auspicioso, o dia do desaparecimento de nitya-lila-pravista-om-visnupad-astotara-sat Sri Srimad Bhaktivedanta Svami Maharaj. Devemos ouvir sobre sua história de vida e contribuição.

Quero somente falar algumas poucas palavras e glorificar a história de sua vida, porque as escrituras explicam:
vaisnave guna gana koreli purana
Nossas escrituras explicam que se você glorifica o caráter de um vaisnava, estará protegido contra maya. Porque em algumas ocasiões, temos dúvidas sobre Krsna-katha, os passatempos de Krsna. Mas se você ouve os passatempos da vida dos devotos, não surgem dúvidas, isso é verdade. Pois esses devotos do Senhor fazem o seu bhajana como seres humanos, como um sadhakas comuns.

E como desenvolver nosso bhajana e sadhana?

Bhaktivedanta Svami Maharaj nasceu em Calcutá e era um homem de negócios de alta-classe, possuía muito dinheiro e riquezas. Tomou abrigo aos pés de lótus de Bhaktisiddhanta Sarasvati Praphupad e na época era um grhastha, assim como nossos gosvamis, que também eram em sua maioria, grhasthas.

Nossas escrituras afirmam:
kiba vipra, kiba nyasi, sudra kene naya
yei krsna-tattva-vetta, sei ‘guru’ haya
(CC Mad 8.128/BRSB p. 38)
[“Na concepção de nossas escrituras, não existe diferença entre um chefe de família e uma pessoa da ordem renunciada.”]

Você pode executar bhajana e sadhana em qualquer asram

“Aquele que profere hari-katha e purifica o Meu coração”, em nossos sastras é explicado, “é chamado guru”. Essa é também a instrução do Senhor Mahaprabhu. O Senhor Caitanya Mahaprabhu instruiu todos os seus seguidores: “amara gai guru hya taro ei dish”,
“Preguem os santos nomes em todo lugar e liberem todas as entidades vivas. Um dia o Meu nome será pregado em todo o mundo”.
prthivite ache yata nagaradi grama
sarvatra pracara hoibe mora nama
(Caitanya Bhagavata Antya 4.126)
[“No futuro, todos cantarão os santos nomes.”]

Com base nas escrituras, é explicado que todas as coisas espirituais se manifestam na Índia e então se espalham por todo o mundo. Bhaktivedanta Svami Maharaj deu o exemplo do cego e do aleijado:

Certa vez, ambos estavam pensando em se locomover de um determinado local a outro. (As escrituras explicam que as pessoas não permanecem no local onde não há algum tipo de grão ou não chove, portanto, os dois estavam pensando em como deixariam a vila em que moravam.) O aleijado não pode andar e o cego não pode ver; então como é possível andar sem enxergar? Se você fecha os seus olhos e anda, o que acontecerá? Você vai cair. Então, já que o aleijado podia enxergar, mas não podia andar, ele disse ao cego: “Não se preocupe. Você me carrega em seus ombros e eu te falo para onde ir. Esquerda, direita, eu te guio”. Assim, ele subiu nos ombros do cego e os dois foram embora da vila.

A conclusão dessa história é que a Índia é como se fosse o aleijado. A Índia não tem dinheiro. E os países ocidentais são como o cego. Eles têm dinheiro, mas não sabem como usá-lo. Bhaktivedanta Svami Maharaj, portanto, explica sobre a Índia, e isso está nas escrituras, em todos os Vedas, Puranas e Upanisads. Se o aleijado e o cego fizerem um compromisso um com o outro, conseguem alcançar o objetivo perfeito. Da mesma forma, Bhaktivinoda Thakura explicou que, em 400 anos, todo o mundo, pessoas brancas e negras misturadas, se encontrarão e cantarão juntas os santos nomes.

Bhaktivinoda Thakura, portanto, explicou que todos espalhariam os santos nomes do Senhor por toda a parte: “prthivite ache yata nagaradi...” (CB Antya 4.126).

E Mahaprabhu disse: “Um dia, Meu nome será espalhado por todo o mundo. Ocidentais e indianos se encontrarão e cantarão os santos nomes”.

Hare Krsna Hare Krsna 
Krsna Krsna Hare Hare
Hare Rama Hare Rama 
Rama Rama Hare Hare

O Senhor Caitanya Mahaprabhu estabeleceu este prema-dharma e pregou nama-sankirtana. Rupa, Sanatana e outros gosvamis também estabeleceram isto e escreveram muitos granthas [livros] como o Bhakti-rasamrta-sindhu, Ujvala-nilamani, Lalita-Madhava... Porém, se você escreve granthas, imprime os livros, mas não os dissemina por todo o mundo, quem vai saber deles? Se você apenas imprimir os livros e deixar em seu quarto, ninguém vai conhecê-los. Você tem que distribuí-los.

Bhaktivedanta Svami Maharaj disse: “O melhor serviço a Mim é distribuir Meus livros, pois esses livros são o quê? Minhas instruções e a filosofia do Senhor Caitanya Mahaprabhu!”. Isso é verdade. Se você não distribui os livros nos países ocidentais, como as pessoas vão saber sobre a filosofia védica?

Assim, Bhaktivedanta Svami Maharaj pregou por todo o mundo e deu uma ênfase maior para a distribuição de livros. A distribuição de livros é muito importante. Ele escreveu muitos granthas também. Nós vemos que todos os nossos gosvamis escreveram muitos granthas e quando nós vemos Bhaktivedanta Svami Maharaj, seus livros também são inúmeros. Estão em muitos idiomas, espalhados por todo o mundo. Em mais de trezentas línguas em todo o mundo! O Srimad Bhagavad-Gita está em todo o mundo, até mesmo na língua muçulmana, o urdu. Eu vejo por todo o mundo, em todas as línguas o Gita está traduzido. Porque ao ler esse livro, as pessoas se inspiram.

A distribuição de livros é a coisa mais importante da nossa pregação. Gurudeva disse que quando você comprar um livro, deve comprar outro e dar de presente ao seu amigo. Ou então seu amigo dirá: “Oh, você veio de Vrndavana e o que trouxe pra mim? Prasada? Mas isso você come e acaba!”. Mas com cem rúpias você pode comprar um livro. Esse é o melhor presente.

Gurudeva inspirou muito a todos sobre isso, em seu centro de pregação. Eu vi, em todos os lugares onde Gurudeva dava hari-katha, por sete dias, no último dia ele dizia: “Amanhã virei aqui e a livraria estará completamente vazia”. E ele disse: “Você tem que comprar, nem que seja para dar à força de presente aos seus amigos, em todo lugar”.

Isso é muito importante, essa é a mensagem de Caitanya Mahaprabhu. Isso se chama brhad-mrdanga. Quando você toca mrdanga, o seu som alcança dois, cinco ou dez metros, não mais que isso. Mas hari-katha e a impressão de livros é brhad-mrdanga, vai alcançar todo o mundo. Dessa forma você pode pregar.

Quando você faz bhajana e canta os santos nomes, [não é como] nameace. Você conhece essa história? [Gurudev se refere à história do devoto que, ao invés de fazer o seva que seu guru pedia, dizia estar fazendo o seva de cantar japa, harinama-seva. Mas quando chegou a hora da prasada, ele afirmou que aquele sim era um seva que ele faria, já que não fez os outros. Ele faria prasada-seva]. 

A pessoa diz: “Gurudeva, estou cantando os santos nomes”. Isso é coisa de pessoas preguiçosas e loucas, entendem? Vocês devem pregar. Mas como? Cantando os santos nomes e falando como Caitanya Mahaprabhu instruiu:
jare dekhe tare kohe ‘krsna’ upadesa
(CC Madhya 7.128)
Se você vir alguém, apenas instrua: “Ó meu irmão, ó minha irmã, cante os santos nomes”.

E como eles vão saber o que é Hare Krsna? Você vai dar os livros pra eles e eles verão: “Oh, estes são os livros sobre a filosofia Hare Krsna?”. As pessoas perguntarão: “O que é esta sua filosofia, Hare Krsna?” e dirão: “Este livro é muito bom, como é interessante”.

Vocês já leram meu livro “Bhakta, Bhakti & Bhagavan”? Ele é muito bom e é simples. Eu escrevi também meu primeiro livro, “Joias do Coração”. É um livro de filosofia mais elevada, e toda o rasa-tattva está lá. O meu segundo livro distribuído (Bhakta, Bhakti & Bhagavan) possui menos tattva. Porque eu pensei, o outro livro tinha muita rasa-tattva e ninguém entenderia. Toda a essência do Harinama Cintamani está lá, o diálogo entre o Senhor Caitanya Mahaprabhu e Haridas Thakura, a filosofia mais elevada. Então eu reduzi [o tattva neste segundo livro], senão ninguém conseguiria digerir. Somente devotos avançados podem digerir. 

Depois, eu escrevi o “Sri Sva-niyama Dasakam”. Mas se você ler o “Bhakta, Bhakti & Bhagavan”, verá que ele é muito simples. Nele, eu explico que há cinco tipos de devotos do Senhor: o jñani-bhakta, o sudha-bhakta, o premi-bhakta, o premapara-bhakta e o prematur-bhakta. E há os seus representantes. Esta é a base do Brhad-Bhagavatamrta. Sanatana Gosvamipada explica dessa forma. E eu explico isso, sobre o caráter de Prahlada, Dhruva, Ambarish Maharaj, e se pode compreender sobre Hanuman, os cinco Pandavas, Udhava e depois sobre as gopis e os vrajavasis. Como eles possuem amor e afeição por Krsna! Esse livro é muito simples, não é filosofia profunda. A filosofia está lá, mas não está apresentada de maneira profunda. Portanto, todo mundo deve ler esses livros e dar a seus amigos. Se eles não lerem agora, algum dia lerão.

Bhaktivedanta Svami Maharaj inspirou os seus discípulos a irem a todos os lugares e distribuir os livros: aeroportos, estações de ônibus, todos os lugares. [Eles deveriam dizer]: “Tome este livro”. Eu sei que várias pessoas pegam o livro e não o lêem. Mas após dez anos que seja, quando eles lêem, ficam muito surpresos. A maioria das pessoas leu e um dia se tornou devoto.

Dessa forma, Mahaprabhu instruiu: “prthivite ache yata nagaradi grama...” (CB Antya 4.126), “Um dia o Meu nome será pregado por todo o mundo”.

Então cantem os santos nomes. Nama-sankirtana e vaisnava-seva. Cantem os santos nomes e façam bhajana e sadhana. Tomem abrigo nessa filosofia.

Naquele tempo, o nome de Bhaktivedanta Svami Maharaj era Abhay Babu. Srila Prabhupada, o seu Gurudeva, havia lhe dito: “Oh, você pode pregar nos países ocidentais”. Mas no começo ele não deu muita atenção. Depois de quatorze anos porém, ele pensou: “Eu devo seguir a instrução de meu Guru”.

Seu negócio estava completamente falido, uma fábrica química na Bengala. Então ele foi para Mathura e tentou reabrir, mas não conseguiu.

Nossos sastras dizem que Krsna dá a misericórdia, mas que aos poucos Ele retira todo o seu asakti (apego). E um dia você se tornará um pedinte de rua e cantará Hare Krsna.

Bhaktivedanta Svami deixou seu lar, sua esposa e seus filhos, que não gostavam dele, e ficou em Mathura, onde iniciou um negócio na área farmacêutica que também não deu certo. Então, Srila Gurudeva Narayana Maharaj chamou-o para ficar na Kesavaji Gaudiya Matha e apenas editar a nossa revista em hindi, não precisando fazer mais nada. E quando Bhakti Prajnana Kesava Gosvami chegou [de viagem], Srila Gurudev Narayana Maharaj insistiu Svami Maharaj a aceitar sannyasa. Antes, ele havia dito que não queria, pois não era qualificado, mas Gurudeva o forçou e o inspirou, e finalmente ele aceitou. Seu nome se tornou Bhaktivedanta Svami Maharaj.

Ele foi pregar em Jasi, mas não obteve sucesso completo. Voltou para Vrndavana e executou seu bhajana e sadhana no Radha Damodara. Escreveu [comentários e traduziu] o Srimad Bhagavad-Gita e também o Srimad-Bhagavatam. E Srila Gurudeva disse: “Eu tinha tanto amor e afeição por ele, sakhya-bhava. Na maioria das vezes em que eu ia para Vrndavana, ficava com ele. Ele é o meu melhor amigo e meu siksa-guru. Eu ficava com ele e às vezes fazíamos chapati, honrávamos prasada. Não havia sabji, apenas um pouco de picles e debatíamos hari-katha”. Assim como Rupa e Sanatana, quando eles se encontravam, falavam hari-katha. Sukadev Gosvamipad explica isso. Quando os vrajabasis, ou seja, os devotos puros se encontram, discutem krsna-katha. Rupa Gosvamipad realizou bhajana e sadhana no Ter Kadamba e Sanatana Gosvamipad nas margens do Pavana Sarovara. E quando eles se encontravam, falavam krsna-katha.
janmady asya yato ’nvayad itaratas carthesv abhijnah svarat
tene brahma hrda ya adi-kavaye muhyanti yat surayah
(SB 1.1.1)
E eles fizeram o seu comentário [dos granthas] e a própria Srimati Radhika costumava vir ouvir seu hari-katha. Ela vinha na forma de uma garota comum de vila. E ouvia o hari-katha dos lábios de lótus dos dois.

Portanto, tentem entender que, da mesma forma, quando Srila Gurudeva Narayana Gosvami Maharaj e Srila Svami Maharaj se encontravam no Sri Radha Damodara, também discutiam hari-katha.

Assim, Svami Maharaj foi aos países ocidentais e em seu primeiro ano lá foi muito difícil de pregar. Foi muito difícil e ele ficou um pouco perturbado: “Talvez Krsna não queira que eu pregue”. Pensou em voltar para Vrndavana e executar o seu bhajana e sadhana sozinho. Mas Krsna sabe de tudo. Quando ele cantou os santos nomes no parque Tompkins Square:

Sri Krsna Caitanya, Prabhu Nityananda, Sri Advaita, Gadadhara, Srivasadi, Gaura-bhakta-vrnda!

Hare Krsna Hare Krsna 
Krsna Krsna Hare Hare
Hare Rama Hare Rama 
Rama Rama Hare Hare

E os hippies vieram. Na verdade, aquela época foi a era dos hippies, hippie-yuga. Agora, nós vemos menos hippies, mas naquele tempo nos EUA havia muitos hippies, a nova geração era toda hippie. O governo americano os forçou a ir para a guerra do Vietnã e por isso eles se tornaram hippies. E todos eles tomaram abrigo aos pés de lótus de Bhaktivedanta Svami. Antes, eles eram hippie e depois se tornaram happy [felizes], cantando os santos nomes!

Nama-sankirtan! Bhaktivedanta Svami Maharaj pregou ao redor do mundo inteiro!

Gaura Premanande!

Tradução: Sita devi dasi (Morungaba-SP)
Revisão: Vraja-sundari devi dasi (Morungaba-SP)