GURU TATTVA

Teresópolis, Brasil
dezembro, 2015

Estou muito feliz de vir a Gaura Mandir, pois este lugar é um maha-tirtha. Gurudev esteve aqui por três vezes. Em 2003, Gurudev permaneceu na casa de Subal Prabhu e eu cozinhei para ele e também muitas pessoas tomaram iniciação de Srila Gurudev naquele lugar.

Se você quer ingressar em sua vida espiritual deve sempre se absorver em sri-guru-pad-padma.

guru-pādapadme rahe jāra nisthā bhakti
jagat tārite sei dhare mahāsakti

Aquele que possui guru-nistha pode liberar todas as entidades vivas deste mundo material. 

Guru-nistha, guru-bhakti são a espinha dorsal da nossa vida espiritual. Quando Srila Bhakti Prajñan Kesav Gosvami Maharaj costumava ir a Mayapur e sentava-se em frente ao samadhi-mandir de Srila Bhakti Siddhanta Sarasvati Prabhupad, ali ele não conseguia falar a palavra “Prabhupada”. Ele dizia apenas “Pra...” e sua garganta embargava e lágrimas corriam de seus olhos. Especialmente na época do Navdvip-parikram, milhares de pessoas vinham ouvir a glorificação de Srila Bhakti Siddhanta Prabhupad pelos lábios de lótus de Srila Bhakti Prajñan Kesav Gosvami Maharaj, mas ele não conseguia falar nem uma palavra. Então, ele simplesmente apontava para Srila Bhakti Vedanta Vaman, Trivikram e Narayan Gosvami Maharaj para que eles falassem algo.

É necessário que tenhamos isso, nistha em nosso Guru-pad-padma. Guru-nistha é muito importante na nossa vida espiritual. Sempre tente glorificar Guru-pad-padma. 

O próprio Krsna falou a Uddhav, “He Uddhav, tente compreender essas coisas...

acaryam mam vijaniyan navamanyeta karhicit
na martya-buddhyasuyeta sarva-deva-mayo guruh
(Srimad-Bhagavatam 11.17.27)

O significado simples disso é: “He Uddhav, o acarya, Gurudev, é não-diferente de Mim. Nunca o desonre, nunca o critique, nunca encontre falhas nele”.

A maioria das atividades do Guru é como as de um ser humano, como “nós”. Por isso, a alma condicionada tenta encontrar erros no guru. O guru descansa, nós também; Gurudev se alimenta, nós também; às vezes ficamos muitos bravos e Gurudev também fica bravo às vezes. Portanto a alma condicionada fica muito confusa, pensando: “como pode Gurudev ser igual a Krsna?”

Por isso o próprio Krsna disse nesse verso: acaryam mam vijaniyan navamanyeta karhicit – “o acarya, Gurudev, é não-diferente de Mim”. 

As lilas de Gurudev e de Krsna, ambas são aprakrtas, transcendentais. Os doces passatempos de Krsna em Vraj, em Sua infância, [acontecem] na casa de Nanda Maharaj. Da mesma forma o Senhor Caitanya Mahaprabhu realizou suas doces lilas em Navadvip-dham na casa de Jagannath Misra e Saci Devi.

Quando Nimai era bem pequeno, Ele ficava muito bravo e pegava todo o arroz e jogava no chão, quebrando os potes de barro. Mas Saci Mata nunca O castigou, ela sempre tinha muito amor e afeto por Nimai.

Já em Vrndavan, Krsna quebrava o pote de iogurte, mas mãe Yasoda O castigava e O prendia.

Deste modo, vemos que alguns passatempos de Krsna são como se fossem passatempos de um ser humano. Por isso nos Vedas está dito que: nara-vat lila kevalam - “Krsna executa Suas lilas como se fosse um ser humano”.

E da mesma forma se dá também com Guru-pad-padma, todas as suas atividades são como se fossem lilas de um ser humano.

Por isso Krsna disse a Arjuna no Srimad-Bhagavad-gita (4.9): janma karma ca me divyam / evam yo vetti tattvatah... - Depois de abandonar o corpo, aquele que compreendeu Minha existência transcendental, atinge a Minha morada.

Então com muito cuidado, dê o mesmo respeito a Guru e a Krsna. Um poeta vaisnava chamado Sanatan Das glorificou muito belamente a Guru-pad-padma:

asraya koriya bandhu sri guru-carana
jaha hoite mile bhai krsna-prema-dhana
jivera nistara lagi’ nanda-suta hari
bhuvane prakasa pana guru-rupa dhori
mahimaya ‘guru’ ‘krsna’ eka kori’ jano
guru-ajña hrde saba satya kori’ mano
satya-jñane guru-vakya jahara visvasa
avasya tahara haya vraja-bhume vasa...

Nesta canção, Sanatan Das, um poeta, fala das glórias de Gurudev, Guru-mahima. Asraya koriya bandhu sri guru-carana - primeiramente abrigue-se nos pés de lótus de um guru genuíno, Guru-pada-ashraya.

guru-padashrayas tasmat
krishna-dikshadi-shikshanam

vishrambhena guroh seva
sadhu vartanuvartamanam
(Bhakti-rasamrita-sindhu, 1.2.74)


Estes são os membros (angas) de bhakti, sendo o primeiro guru-pada-ashraya, abrigar-se nos pés de lótus de um guru fidedigno. Pois Krsna-bhakti virá quando você se abrigar em um guru, guru-pada-ashraya. Isto é muito importante.

jīvera nistāra lāgi nanda-suta hari
bhuvane prakāsa hana guru-rūpa dhari


Krsna se apresenta neste mundo material em diversas formas: sadhu, guru, sastra... De manhã falei sobre as glórias do Srimad-Bhagavatam. Krsna aparece nesta kali-yuga na forma do Srimad-Bhagavatam.

krsne sva-dhamopagate dharma-jñanadibhih saha
kalau nasta-drsam esa puranarko ‘dhunoditah
(Srimad-Bhagavatam 1.3.43)

Quando Krsna desaparece deste mundo material, começa kali-yuga. A natureza da era de kali é – kalahan lati kali - sempre haver discussões, brigas entre as pessoas. E são usados argumentos especulativos. Kali é isso, aquela que traz a discussão.

Quando Pariksit Maharaj castigou Kali, ela rendeu-se a Pariksit Maharaj, pois esta é a natureza de pessoas dúplices e hipócritas. Conforme os seus próprios interesses, Kali se abrigou em Pariksit Maharaj, dizendo: “Você é o rei e eu sou o seu súdito, por favor, dê-me abrigo!” A regra é essa, se alguém se rende a você, seu dever é protegê-lo. Pariksit Maharaj de uma forma bem simples falou para Kali: “Ok, eu lhe dou abrigo. O que você deseja?” E Kali respondeu: “Agora é a minha era, era de Kali, então, você não pode me expulsar daqui, mas eu me contento em ficar somente em quatro lugares”. E Maharaj Pariksit concordou, "vou lhe dar quatro lugares".

Quais são os locais em que Kali permanece? 

dyutam panam striyah suna
yatradharmas catur-vidhah (SB 1.17.38)

Dyutam - onde há jogos de azar, apostas. Panam - onde há intoxicação: álcool, maconha, drogas em geral, sua cabeça começa a girar e você perde tudo. Em nossa tradição gaudiya você deve rejeitar estas coisas. Você não deve usar estas coisas. Sua mente ficará perturbada. Striyah- onde há sexo ilícito e suna – matar as entidades vivas. Por isso na nossa tradição Gaudiya Vaisnava seguimos os quatro princípios. Não comemos carne, nem alho ou cebola; não bebemos álcool; não praticamos sexo ilícito e não apostamos. Simples assim. 

Então, Pariksit Maharaj deu a Kali estes quatro tipos de lugares. Mas Kali pediu para Pariksit Maharaj: “Ó, por favor, dê-me mais um lugar para ficar!...” 
punas ca yacamananya. Maharaj falou: “Onde mais você quer ficar?” e Kali respondeu: “Onde há ouro!” E então Pariksit Maharaj concedeu também este local. No total então, Kali havia conquistado cinco locais onde poderia permanecer, onde há jogos de azar, intoxicação, sexo ilícito, a morte de entidades vivas e ouro (sarna).

Digo isto pois estamos na era de Kali, em todos os locais há brigas e onde há brigas, a prática de bhajan e sadhan é impossível.

Portanto, com todo o cuidado, abrigue-se aos pés de lótus de guru-pad-padma, asraya koriya bando sri guru-carana. E nunca procure por falhas no sadhu e guru autênticos.

No Vaisnava-tantra, Uddhava estava confuso e perguntou a Krsna: “Você diz que o guru não é diferente de Você, mas como isso é possível? Eu não compreendo...”

E Krsna respondeu: “Uddhava, o que você acha de Mim?” E Uddhava: “Ó! Você é Parabrahma Bhagavan!” E Krsna disse: “Mas como você sabe que Eu sou Bhagavan?” Uddhava então citou um verso que diz que Aquele que é Bhagavan não possui dezoito defeitos. Krsna respondeu: “Mas como assim?! Meus defeitos não são apenas dezoito, mas sim milhões e milhões!... Bhagavan não conta mentiras, mas Eu, desde que era muito pequeno, Eu mal falava, mas já mentia muito!”

Quando Krsna era bem pequeno, estava começando a andar e ainda nem falava direito, somente mama, papa, Mãe Yasoda tinha preparado manteiga fresca, colocou em um quarto e fechou a porta. Krsna bebê então entrou neste quarto e quando viu a manteiga fresca, ficou com água na boca e começou a comer a manteiga direto do pote. E ao fazer isso, Ele viu o Seu próprio lindo reflexo em uma pilastra e pensou: “Talvez esse Meu amigo está Me vendo aqui roubando manteiga!... Se ele contar isso para a Minha mãe, ela vai bater em Mim!” Então Krsna falou para o Seu próprio reflexo na parede: “Ei, amigo! Não conte para a Minha mãe que estou roubando manteiga aqui!...”

Krsna estava lambendo a manteiga nas mãos e fazendo o gesto de “não” com as mãos: “Não, não, não conte!” E o reflexo também lambia e fazia “não”: “Não, não, não conto!” Krsna disse: “Não conte que eu te dou um pouco de manteiga.” E, como tudo o que Ele fazia, Seu reflexo também fazia, Krsna começou a dar manteiga na boca de Seu próprio reflexo no pilar. Baladev Prabhu também era pequeno, mas notou que Krsna estava roubando a manteiga e chamou Mãe Yasoda: “Mãe, venha ver o que o seu filho está fazendo ali”. E Mãe Yasoda viu: “Olhe o que o meu bebê está fazendo!...” E Krsna olhou para trás e viu Sua mãe ali. Rapidamente, Krsna tentou limpar a manteiga de Sua boca, mas a manteiga espalhou mais ainda.

Mãe Yasoda perguntou: “Ei Krsna, o que você está fazendo aí???!” E Krsna respondeu: “Mãe, eu não comi manteiga não!” E Mãe Yasoda: “Então quem comeu?” Krsna disse apontando para o Seu reflexo: “Foi esse meu amigo aqui!” Sua mãe disse: “E o que é esse bigodinho de manteiga na Sua boca, Krsna??” E Krsna respondeu: “Mãe, veja só, Eu não queria manteiga mas esse menino aqui, Meu amigo, Me forçou, pondo manteiga na Minha boca e ficou esse bigodinho!...” Mãe Yasoda então sorriu, deu umas batidinhas nas costas de Krsna e O abraçou em seu colo.

Por que digo isso? Pois Bhagavan nunca mente, mas Krsna sim. Então Krsna fala para Uddhava: “Eu minto desde pequeno...”

Além disso, quem é Bhagavan nunca fica bravo com ninguém, mas Krsna bebê ficou bravo e quebrou o pote de manteiga. Uma vez Mãe Yasoda, completamente absorta em Krsna-lila, cantando, batia o iogurte para fazer manteiga fresca: govinda damodara madhaveti. Então Krsna bebê veio e com uma mão Ele puxou o bastão que ela usava para bater o iogurte dentro do pote de barro e com a outra mão Ele se segurou na trança de Mãe Yasoda. Ela então abriu os olhos e O viu: “Oh, meu Bal Gopal chegou!” E ela O amamentou. E Krsna mamou, muito feliz. Nesse meio tempo, o leite que estava no fogo começou a ferver e a transbordar da panela. Mãe Yasoda então parou de amamentar Krsna e foi socorrer o leite. Então, o bebê Krsna ficou muito bravo e por isso pegou uma pedra e quebrou o fundo do pote de iogurte. Porque às vezes os bebês também ficam bravos.

Às vezes seus bebês também ficam bravos, não é verdade? E usam braços, mãos, pernas e tudo mais para se mexer e bater em tudo. Qualquer coisa que eles estejam fazendo, se alguém os interrompe, eles esperneiam e batem em tudo. Mesmo se um bebê quiser por a mão na chama do fogo, se sua mãe o interromper ele ficará bravo!... “Por que você está me interrompendo???! Eu quero por a mão ali!...” (risos)
Krsna então fala para Uddhava: “Quando Eu era um bebê fiquei muito bravo e também era muito guloso, como você pode falar que sou Bhagavan?” Uddhava respondeu: “Prabhu, esta é a Sua lila.”

Ser Bhagavan inclui duas coisas: sarva-jnata e mugdhata, ao mesmo tempo em que Ele sabe de tudo e Ele também não sabe de nada.

Kunti perguntou para Krsna: “Quando Sua mãe Te castigou e Você chorou, aquilo era apenas Sua lila ou Você realmente estava com medo dela?”

Por exemplo, se alguém está fazendo uma peça de teatro, o ator chora e sofre, pois a peça é para ser exibida para o público. O ator não está chorando e triste de verdade, está somente mostrando aquilo para a plateia. Por isso Kunti pergunta para Krsna: “Me conte, você estava atuando ou era de verdade?”

E Krsna respondeu: “Ó Kunti, ambos. Ao mesmo tempo em que foi um passatempo Eu também estava encenando. Pois eu sou Bhagavan, possuo ao mesmo tempo duas coisas, sarva-jnata e mugdhata, a onipresença e a inocência.

Então Krsna falou para Uddhava: “Ei Uddhava, tente entender, a mesma coisa acontece com o meu devoto puro, com o Guru.”

Portanto, nesta conversa entre Krsna e Uddhava há diversos ensinamentos sobre guru-tattva.

Mas há uma coisa, o Guru sempre segue todas as regras e restrições escriturais. Já Krsna nem sempre as segue. Você sabe o que somente Krsna pode fazer e que Gurudev não pode? Rasa-lila! Somente Krsna pode executar a rasa-lila, o guru não pode, nem mesmo o próprio Krsna em nenhuma de Suas outras encarnações pode executar rasa-lila. Nem mesmo Narayan em Vaikuntha, ou Ramacandra em Ayodhya, nem mesmo Dvarkadish-Krsna ou Mathuradish-Krsna; nenhum pode fazer a rasa-lila. Somente Vrajendranandan Syamsundar pode executar a rasa-lila.

Portanto, o Guru tampouco pode executar esta lila. O Guru é a personificação do humor de serviço, seva-murti-vigraha-guru-pad-padma. Krsna é visay-vigraha, Ele é o objeto do amor divino. E Guru-pad-padma é asray-vigraha, o abrigo do amor divino. Guru nos mostra como servir a Krsna. 

Baladev Prabhu ou Nityananda Prabhu são denominados de akhanda-guru-padma, o princípio indiviso do mestre espiritual. Baladev Prabhu é guru-tattva, mas é também bhagavat-tattva, ambos. E é por isso que Baladev Prabhu também executa rasa-lila. Nunca duvidem de Baladev Prabhu.

Baladev Prabhu ou Nityananda Prabhu são akhanda-guru-tattva. Sem a misericórdia deles nunca obteremos Krsna. Portanto sempre lembre-se que Baladev Prabhu ou Nityananda Prabhu são akhanda-guru-tattva, o princípio indiviso do guru. E quem é o nosso guru original? Krsna. Krsna manifesta-se de duas formas, como Krsna e como Baladev Prabhu. Portanto Baladev também é não-diferente de Krsna.

Krsna pensa: “Eu Sou Bhagavan, mas a alma condicionada não sabe como Me servir...” E por isso Ele se manifesta novamente como Baladev Prabhu e, nesta forma, serve a Krsna de diversas formas, especialmente de dez formas, dasa vidya seva (verso).

Asana (assento), vasana (roupas), dham (morada sagrada onde acontecem os passatempos), chatra (guarda-sol ou guarda-chuva), etc.

Quando Vasudev Maharaj levou o bebê Krsna de Mathura para Gokul e tentava atravessar o Yamuna com Krsna recém-nascido, debaixo de uma forte chuva, Baladev Prabhu Se manifestou na forma de sesh-nag, e seus capelos tornaram-se o guarda-chuva que protegeu Krsna.

Portanto Baladev Prabhu serve a Krsna de diferentes e diversas formas e do mesmo modo acontece com Guru, pois o Guru é a personificação do humor de serviço a Radha e Krsna. E Guru também nos ensina a servi-Los.

Às vezes Sri Baladev Prabhu serve Srimati Radhika no humor de Ananga Manjari. Pois somente quem possui corpo feminino pode servir Srimati Radhika, então, Baladev Prabhu se manifesta como Ananga Manjari e assim A serve.

Este é o nosso Gaudiya-siddhanta (conclusões filosóficas). Há dois tipos de siddhanta: tattva-siddhanta e rasa-siddhanta. Pelo tattva-siddhanta, Gurudev é uma manifestação de Baladev Prabhu. E pelo rasa-siddhanta, Gurudev é uma manifestação de Srimati Radhika.

nikunja-yuno rati-keli-siddhyai 
ya yalibhir yuktir apeksaniya
tatrati-dakasyad ati-vallabhasya 
vande guroh sri-caranaravindam
(Guruvastakam 6)

samsara-davanala-lidha-loka-
tranaya karunya-ghanaghanatvam... 
(Srila Gurudev canta versos de 1 a 6)

Gurudev serve a Srimati Radhika na forma de uma sakhi-manjari. Isso se chama guru-rupa-sakhi-manjari-seva.

Deste modo, tente entender guru-tattva com muita cautela, como satisfazer os desejos de Sri-Guru-pad-padma. Mantenha sua mente sempre absorta em Guru-pad-padma. Pense: “Assim como Gurudev serve a sua Istadev, desse mesmo modo eu também A servirei, sob a guia de meu Guru-pad-padma!”

Como disse no começo, guru-nistha, guru-bhakti são a espinha dorsal da nossa vida espiritual. Isto é muito importante. E também pense sempre “eu amo quem ama meu Guru.” Caso contrário, você nunca desenvolverá a sua vida espiritual. Isto é muito importante.

Mas veja, Candravali também ama Krsna. E Srimati Radhika ama Krsna. E quem você ama? Candravali ou Srimati Radhika?? Srimati Radhika! Aqueles que amam Srimati Radhika pensam: “Candravali é a ‘rival’ de minha Svamini! Portanto eu não me associo com ela!”

Como exemplo, vou contar uma história que aconteceu com Srila Raghunath Das Gosvami. Ele sempre foi unidirecionado com Srimati Radhika. Cantava os Santos Nomes, lembrando-se de Srimati Radhika e chorando, chorando por Ela.

tavaivasmi tavaivasmi na jivami tvaya vina
iti vijnaya radhe (devi) tvam naya mam caranantike
(Vilapa-kusumanjali, 96)

Todos os dias um senhor vrajvasi idoso, muito humilde, costumava levar para Srila Raghunath Das Gosvami um pouco de leitelho em um copo feito de folhas. Um dia o mesmo senhor trouxe leitelho, mas em um copo maior, também feito de folhas. Então, Srila Raghunath, com muita humildade perguntou ao senhor: “Ei, baba, onde o senhor arrumou esse copo grande feito de folhas??” E o vrajvasi respondeu: “Ah, é que hoje eu fui no Sakhi-stali, no lugar de Candravali e foi lá que eu arrumei esses grandes copos de folha!” Então Srila Raghunath ficou muito bravo, pegou um bastão de madeira e tentou bater no senhor idoso! Porque Raghunath pensou: “Ei, Candravali é a rival de minha Svamini Srimati Radhika!!” E ele ficou muito, muito bravo.

Porque se você ama alguém, sua Istadev, e tem uma pessoa que é contra ela, você será indiferente a essa pessoa.
Do mesmo modo, eu amo meu Guru, então também eu amo quem ama meu Guru. Por isso o sastra diz: sajatiyasaye snigdhe sadhau angah svato vare . O mesmo humor virá e se manifestará no seu coração. Como na canção de Sanatan Das, eu adoro os pés de quem ama o meu Guru e bebo a água que lava os Seus pés.

guru-pada-padma nitya je kare vandana
sire dhori’ vandi ami tahara carana

sri guru-carana-padma hrde kori asa
sri guru-vandana kare sanatana dasa

(versos 13 e 14 de Asraya koriya vando)

Aqui está muito claro: “Aquele que sempre glorifica meu Gurudev, eu também me agarro aos seus pés de lótus. Eu fico muito feliz e quero ouvir as glórias de meu Gurudev de seus lábios de lótus. Se você sempre fala sobre as glórias de meu Gurudev, contando a sua história de vida, então eu quero sempre ouvi-lo falar!”

Portanto, todos os dias ouça as histórias de Sri Guru-pad-padma. Se você ouvir Krsna-lila você pode ficar confuso às vezes. Mas se você ouvir sobre guru-katha, seu coração se purificará. Se seu coração não é puro e limpo, você pode ficar confuso com krsna-katha, mas ao ouvir guru-katha, nenhuma confusão virá, pois o guru é a personificação do humor de serviço ao Casal Divino Sri Sri Radha Krsna. 

Todo o nosso guru-varga, como eles executaram bhajan e sadhan? É sobre isso que eu quero ouvir, sobre como o meu Gurudev fez seu bhajan e sadhan, sobre como ele serviu ao seu próprio Gurudev.

Srila Gurudev Bhaktivedanta Narayan Gosvami Maharaj contava isso quando glorificava o seu próprio Gurudev, Srila Bhakti Prajñan Kesav Gosvami Maharaj e também glorificando Bhaktivedanta Svami Maharaj, como ele pregou pelo mundo inteiro, em especial nos países ocidentais.

Isto é muito importante, nossa meta principal, como glorificar Sri Guru-pad-padma.

Hare Krsna Hare Krsna 
Krsna Krsna Hare Hare
Hare Rama Hare Rama 
Rama Rama Hare Hare

Jay Srila Gurudev ki jay!
Jay Srila Bhakti Pramode Puri Gosvami Maharaj ki jay!
Jay Srila Bhakti Raksak Sridhar Gosvami Maharaj ki jay!
Jay Srila Bhakti Prajñan Kesav Gosvami Maharaj ki jay!
Jay Sri Guru Varga ki jay!

Sempre se lembre das glórias de nosso guru-varga, do nosso guru-parampara. Isto é muito importante, observar como nosso Gurudev serviu aos acaryas predecessores. E nunca critique nenhum guru e vaisnava. Sri Caitanya Mahaprabhu falou (verso): nunca critique ninguém e sempre cante 

Jay Srila Gurudev ki jay!

Srila Gurudev Narayan Gosvami Maharaj, o ano inteiro glorificava todo o seu guru-varga-katha. Nos aparecimentos e nos desaparecimentos de todos os acaryas. Sempre glorificava os dias de Srila Bhakti Pramode Puri Gosvami Maharaj, Srila Bhakti Raksak Sridhar Gosvami Maharaj, Bhakti Advaita Madhava Gosvami Maharaj, todos os anos. Assim ele nos ensinou a sempre glorificar nosso guru-varga-katha, todos os acaryas predecessores, todo o Sri Guru-parampara. E a cantar os Santos Nomes:

Jaya Gurudeva! Jaya Gurudeva!
Gurudev tumari jaya jaya ho!
Jaya patit-pavan jaya Gurudeva!
Jaya Gurudev! Jaya Gurudev!