DE VOLTA AO LAR, DE VOLTA AO SUPREMO

26/01/2018 
Ubatuba/SP



Nós viemos até aqui para expandir a mensagem de nama-sankirtana, o cantar dos santos nomes do Senhor. Porque nesta Kali Yuga, a era em que vivemos, não existe nenhum outro processo para alcançar Deus e purificar nosso coração, apenas o cantar dos santos nomes.
na sadhayati mam yogo
na sankhyam dharma uddhava
na svadhyayas tapas tyago
yatha bhaktir mamorjita
(SB 11.14.20)
[“Meu querido Uddhava, o serviço devocional puro que Meus devotos oferecem a Mim, faz com que Eu seja controlado por eles. Eu não sou controlado por aqueles que se engajam em yoga mística, filosofia Sankhya, atividades piedosas, estudos Védicos, austeridades ou renúncia”.]
Certa vez Krsna disse para Uddhava: “Ei Uddhava, ninguém pode Me alcançar através da prática de karma, jnana, tapasya, estudo das escrituras, austeridades severas ou yoga mística”. Apenas através do cantar dos santos nomes.

Porque tudo o que vemos aqui neste mundo material existe no mundo espiritual na plataforma pura. Mas nós aqui, não sabemos como é o mundo transcendental, quem mora lá, como ele é... O que você pode entender da mensagem que quero trazer para você? A mensagem que quero trazer para você é que sua verdadeira casa não é aqui neste mundo material; sua verdadeira casa é no mundo transcendental, Goloka Vrindavana.

Por isso eu digo: “De volta ao lar, de volta ao supremo”. O mundo transcendental é muito bonito, muito lindo; um mundo repleto de bem-aventurança.
cintamani-prakara-sadmasu kalpa-vrksa-
laksavrtesu surabhir abhipalayantam
laksmi-sahasra-sata-sambhrama-sevyamanam
govindam adi-purusam tam aham bhajami
(Brahma Samhita 5.29)
[“Eu adoro Govinda, o Senhor primordial, o primeiro progenitor, que está pastoreando as vacas, em moradas feitas de pedras preciosas espirituais, cercado por milhões de árvores dos desejos, sempre servido com grande reverência e afeição por centenas de milhares de laksmis ou gopis.”]

Nesse texto sagrado Brahma Samhita, Brahmaji, o criador deste mundo material, diz:

“Todas as casas do mundo espiritual são feitas de cintamani (pedra dos desejos), todas as árvores no mundo transcendental podem satisfazer todos os nossos desejos e o nome das vacas de lá é kamadhenu (satisfazem todos os desejos). Todas as laksmis, consortes do Senhor Narayana em Vaikuntha, vêm até Vrindavana-dhama e varrem o chão. Todas as classes de semideuses, devotos e elevadas personalidades oferecem flores, respeitos e reverências aos pés de lótus de Govinda. Assim, as escrituras explicam como o mundo transcendental é tão belo”.

Mas a alma condicionada não tem ideia do mundo espiritual; há pessoas que acreditam e há pessoas que não. Vou contar uma história que exemplifica isso.

Havia um sapo que vivia há muitos anos em um poço. Ele tinha muitos filhotes e também tinha muitos vizinhos. Bastante orgulhoso por morar ali naquela região, ele sempre elogiava o poço onde vivia e os arredores do local, sendo sempre ouvido pelos outros sapos.

Um dia, um dos sapos que morava ali saiu do poço e viu um elefante muito grande. Ele ficou assustado, pois nunca havia visto aquele animal antes. O elefante era muito grande e parecia uma enorme montanha se movendo. Então o sapo pulou de volta para dentro do poço e contou para todos os habitantes: “Ouçam, o sapo que mora aqui há muito tempo sempre nos diz que este é um local muito bom e que nós estamos muito felizes por aqui. Mas eu acabo de ver um elefante enorme passando perto daqui”. Os outros sapos ficaram curiosos e pediram para que ele explicasse mais sobre o tal elefante que ele acabara de ver, mas depois que ele explicou como era o elefante, eles não acreditaram e ainda zombaram dele.

Disseram: “Esse aí está completamente louco, como pode existir alguém melhor do que nós?! Ele deve estar intoxicado, deve ter fumado ganja [maconha] para dizer que viu um elefante de corpo gigantesco passando por aqui... Aqui no nosso poço nunca vimos algo assim!”.

Então o sapo mais velho que era respeitado pelos outros disse: “Como ele pode ter visto isso? Pode ser que ele tenha algum problema mental! Talvez fizeram uma lavagem cerebral nele, ou talvez tenha sido possuído por algum fantasma; deve ser por isso que ele está falando que viu um elefante gigante. Nós nunca vimos algo parecido por aqui. Quem pode ser superior a mim? Pois querem saber de uma coisa? Eu também posso manifestar um corpo gigante!”. 

Os outros sapos disseram: “É?! Mostre para nós então!”.

Assim, o sapo inalou uma grande quantidade de ar, prendeu a respiração e foi inflando seu corpo. Os outros sapos disseram: “Ainda está muito pequeno! Aumente mais!” e ele foi inalando mais e mais ar, prendendo a respiração. Inflando cada vez mais, ele explodiu ali mesmo e abandonou o corpo.

Dessa forma, a maioria das pessoas não faz ideia do que é o mundo transcendental e mesmo que você fale a respeito dele, há pessoas que não acreditam. Como podemos fazer para conhecer o mundo transcendental? Sri Caitanya Mahaprabhu disse: “Se você cantar o maha-mantra Hare Krsna, a realização automaticamente virá”. Se você cantar, poderá obter olhos transcendentais através dos quais poderá ver o mundo espiritual e Deus. E assim vamos realizar tudo o que é transcendental.

Maha significa ‘grande’ e mantra significa ‘poderes místicos’. Mantra significa também: man - ‘mente’ e tra - ‘proteger’. Muitas vezes sua mente pode ficar perturbada, algumas vezes você não sabe por que sua mente está agitada e não para quieta. Outras vezes sua mente está em vários assuntos e você mesmo não sabe a razão. Algumas pessoas têm a mente tão agitada que se sentem tontas e muitas vezes não conseguem dormir à noite. 

A mente de todo mundo é perturbada. Se você não controlar sua mente, será muito difícil meditar e se concentrar em Deus. Por isso Mahaprabhu enfatizou: “Se você cantar os santos nomes, automaticamente sua mente irá se concentrar”.
ceto-darpana-marjanam bhava-maha-davagni-nirvapanam
shreyah-kairava-chandrika-vitaranam vidya-vadhu-jivanam
anandambudhi-vardhanam prati-padam purnamritaswadanam
sarvatma-snapanam param vijayate sr-krishna-sankirtanam
(CC Antya 20.12)
[“Toda vitória ao cantar dos santos nomes do Senhor Krsna, que pode limpar o espelho do coração e acabar com as misérias do fogo ardente da existência material. Esse cantar é a lua crescente que desabrocha a lótus branca da boa fortuna para todas as entidades vivas. Ele é a vida e alma de toda instrução. O cantar do santo nome de Krsna expande o bem-aventurado oceano da vida transcendental. Ele concede a todos um efeito refrescante e permite que o total néctar seja saboreado a cada passo.”]

Se nós cantarmos os santos nomes de Deus, vamos receber sete tipos de benefícios:

Ceto-darpana-marjanam, o primeiro benefício: Nosso coração vai ficar muito limpo, cristalino e todos os tipos de coisas indesejáveis vão desaparecer. Nosso coração e mente são como um espelho; se seu espelho estiver cheio de poeira, como você conseguirá ver seu prórprio reflexo?

Quando você vai dirigir um carro, a primeira coisa a ser feita é limpar os retrovisores. Há três retrovisores em um carro: o direito, o esquerdo e o central. Se você não limpar os espelhos, não conseguirá ver o que está vindo atrás. A primeira coisa então a ser feita é a limpeza cuidadosa dos espelhos retrovisores. Da mesma maneira, se nós limparmos o espelho do nosso coração, ele ficará limpo. Porque no nosso coração há muitas coisas indesejáveis (anarthas) e se ele não estiver limpo, não conseguiremos ver a nós mesmos.

O que são essas coisas indesejáveis no espelho do nosso coração? A luxúria, a ira, a inveja, o ciúme e tantas coisas o estão encobrindo, como uma poeira espessa por cima dele. Por isso Caitanya Mahaprabhu diz nesse verso: ceto-darpana-marjanam - cantando os santos nomes, a primeria coisa que acontece é que o espelho do nosso coração rapidamente ficará limpo.

O segundo benefício de se cantar é: bhava-maha-davagni-nirvapanam - as almas neste mundo estão sofrendo três espécies de misérias de maya: adhyatmika, adhibhautika e adhidaivika.

Adhidaivika são os sofrimentios causados pelos semideuses e semideusas. Às vezes eles nos perturbam, por exemplo, se chove muito ou se chove pouco; as duas situações nos causam problemas. Se chover muito, tudo inunda, ocorre desabamento de terra, casas são destruídas e doenças são causadas.

Adhibhautika são sofrimentos causados por outros seres vivos, por exemplo: os mosquitos que vêm nos picar; uma picada de cobra; gatos e cachorros podem te morder... Se um cachorro te morder, você pode contrair a doença da raiva e isso pode ser muito perigoso.

Eu pessoalmente presenciei um caso de um devoto que estava fazendo uma peregrinação na Índia (Vraja-mandala Parikrama) e um cachorro o mordeu. Ele havia provocado o cachorro, que estava dormindo, jogando uma pedra nele. O cachorro ficou irado e mordeu o rapaz, mas ele não foi para o hospital e não tomou a vacina antirrábica. Passados alguns meses, o moço começou a se comportar como um cachorro. Ele tinha febre alta e tinha medo da água. Às vezes ele latia como um cachorro e depois de três meses, abandonou o corpo, morreu. Esse é um exemplo de sofrimento adhibhautika, causado por outras entidades vivas. Tenham muito cuidado com cachorros.

Adhyatmika significa sofrimentos causados pela nossa própria mente. O que é isso? Por exemplo, se um parente distante seu morrer, você ficará perturbado; se você perder alguma coisa, sua mente ficará inquieta... Qualquer coisa que aconteça na sua vida que te deixe agitado, fará talvez com que você não consiga nem dormir. Esse tipo de aflição são sofrimentos causados pela nossa própria mente.

Se você cantar os santos nomes de Deus, sua mente ficará automaticamente bem calma e tranquila. O Senhor Caitanya Mahaprabhu disse: “Se você cantar os santos nomes, seu coração ficará bem limpo e asseado”. 

E o segundo benefício? Bhava-maha-davagni-nirvapanam - ficará livre de todos os tipos de sofrimentos materiais. A palavra davagni significa um incêndio na floresta. Algumas vezes, quando dois galhos se friccionam devido ao vento, essa fricção pode gerar fogo e o fogo causar um incêndio. Apenas se houver muita chuva, o incêndio poderá se extinguir. Da mesma maneira, se cantarmos os santos nomes de Deus, todos os nossos problemas serão resolvidos.

Bhava significa nascer e morrer neste ciclo. Você pode pensar que esta é a primeira vida em que você nasceu como ser humano, mas não é verdade. Você já nasceu repetidas vezes, em diferentes locais, em diferentes corpos, mas você se esqueceu. Dessa forma já passamos por 8.400.000 espécies de vidas e em várias vidas já nascemos em diferentes países, diferentes espécies. Agora você nasceu no Brasil, mas na vida passada nasceu em outro lugar. Nesta vida nasceu como ser humano, mas pode ser que em outra vida já tenha nascido como gato ou cachorro. Mas você se esqueceu. De onde você veio? De qual planeta você veio?

Algumas vezes você nasceu nos planetas celestiais, os planetas superiores e outras vezes nasceu nos planetas infernais, os planetas inferiores. Algumas vezes você já nasceu em uma família de pessoas muito ricas e em outras, muito pobres. As escrituras explicam tudo isso. Algumas vezes nasceu inteligente e algumas vezes nasceu como uma pessoa tola. Desssa forma estamos aqui vagando neste ciclo de repetidos nascimentos e mortes. Então Sri Caitanya Mahaprabhu disse:
brahmanda bhramite kona bhagyavan jiva
guru-krsna-prasade paya bhakti-lata-bija
(CC Madhya 19.151)
[“De acordo com seu karma, todas as entidades vivas estão vagando pelo universo inteiro. Algumas estão sendo elevadas aos sistemas planetários superiores e algumas estão descendendo aos sistemas planetários inferiores. Dentre muitos milhões de entidades vivas que estão vagando, uma que é muito afortunada recebe a oportunidade de se associar com um mestre espiritual genuíno, pela graça de Krsna. É pela misericórdia tanto de Krsna quanto do mestre espiritual que tal pessoa recebe a semente da trepadeira do serviço devocional.”]

Vagando nesse ciclo de repetidos nascimentos e mortes, as almas que são extremamente afortunadas receberão nome e mantra do guru e essas almas irão realizar e compreender toda essa filosofia.

Às vezes você fica pensando: “Isso tudo é verdade? De onde eu vim?”. Como eu disse, você pode ter vindo dos planetas celestiais; na vida passada você pode ter sido um semideus, porém você se esqueceu daquele local.

Para exemplificar, vou contar uma história.

Um homem muito inteligente foi visitar uma cidade grande e depois retornou para o pequeno vilarejo em que morava. Ele falava de forma muito eloquente e todos os habitantes do local se acercaram ao seu redor para ouvir o que ele dizia: “Ouçam aldeões, eu vim de uma cidade grande”.

Então os aldeões perguntaram: “Como é uma cidade urbana?”.

“Há muitos prédios altos, no centro da cidade há vários ônibus circulando, indo para diferentes partes. Também há trens que vão para diferentes cidades. As pessoas se vestem com casacos, sobretudos, jaquetas...”.

Os moradores do vilarejo estavam curiosos, querendo saber mais sobre a cidade: “Conte-nos, o que foi que você viu de mais especial, de mais incrível?”. 

“Eu vi duas coisas especialmente incríveis, uma delas foi um avião voando.”

“Avião?! O que é um avião?” 

Aquelas pessoas viviam em um vilarejo escondido, portanto não conheciam avião. Então o homem falou: “Avião é como um pássaro. Nós temos pássaros aqui, sempre os vemos. Aonde quer que vamos, há pássaros voando pela floresta. Sim, era um pássaro gigante, mas ele era de ferro! Um pássaro de ferro com duas asas e dentro dele cabem cem pessoas!”.

“Como um pássaro de ferro pode voar?”, elas indagaram e muito bravas, disseram: “Você é um mentiroso! Como é possível que um pássaro de ferro voe no céu? Como isso é possível? Que mentira!”.

Quem mora no interior do campo não faz ideia do que seja um avião. Porque o avião é como se fosse um pássaro de ferro. Assim, algumas pessoas do vilarejo acreditaram e outras não. Algumas acharam que ele estava apenas de ‘blá blá blá’.

“Ok, então nos diga a segunda coisa que você viu.”

“Eu vi um camelo.”

“O que há de especial em um camelo? Por aqui também há camelos!”

“Sabe o que acontece, é que o camelo que eu vi tinha duas corcovas!”

Mas as pessoas não gostaram do que ele disse e retrucaram: “Você é muito sem noção, você está mentindo!”

(Se você for ao sul da África, verá que lá os camelos têm duas corcovas.)

As pessoas do vilarejo disseram: “Como é possível, nós vemos aqui na nossa vila que os camelos têm apenas uma corcova. Você é um impostor!”.

Passado algum tempo, algumas pessoas do vilarejo foram estudar fora e algumas chegaram a viajar de avião. Algumas foram até a África do Sul e puderam ver o camelo de duas corcovas. E eles então perceberam que aquele homem havia falado a verdade.

Por que contei essa história?

Porque quando falo do mundo transcendental e falo que as casas de lá são feitas de cintamani, a pedra que satisfaz todos os desejos, as pessoas duvidam, afinal, as casas daqui são feitas de tijolos comuns. 

Se você for ao mundo transcendental, não terá nenhum tipo de problema ou aflição e lá você será sempre jovem. Venham todos para Goloka Vrindavana! Mas como ir até lá? Todos cantem:

Hare Krsna Hare Krsna
Krsna Krsna Hare Hare
Hare Rama Hare Rama
Rama Rama Hare Hare

O processo é o cantar dos santos nomes e então você será feliz. Tenha fé em Deus e tenha fé nos santos nomes dEle e a realização virá.

Se eu falar talvez você acredite; talvez tenha fé ou não. Mas se você cantar, você mesmo perceberá sozinho. Auto-realização virá. Você não é morador deste mundo material; sua verdadeira casa é no mundo transcendental! Por isso dizemos: “De volta ao lar, de volta ao supremo”.

Se quer voltar para casa, cante os santos nomes.

Transcrição: Syamala Devi Dasi