As glórias dos santos nomes

14/01/2018 
Viamão/RS
(Fraternidade Solar Coração Pachamama)

Transmitido ao vivo aqui


Eu estou muito feliz por vir a este local pela primeira vez. Vocês estão sendo muito bondosos de nos darem essa oportunidade de nos associarmos com vocês. Também fico feliz de ver todos vocês participando do nosso nama sankirtan [o canto congregacional dos santos nomes]. Vocês todos cantam muito bem e também tocam instrumentos musicais de forma belíssima, como o violão, por exemplo. E todos os devotos que aqui falaram antes, falaram muito bem sobre as glórias dos santos nomes, portanto eu vou falar um pouco dos remanentes do que os vaisnavas falaram.

Você tem que desenvolver a sua vida espiritual mais e mais para alcançar a morada do Senhor. Porque todos os nossos mestres espirituais e também todas as escrituras sagradas -- Vedas, Puranas e Upanisads -- dizem que esse corpo humano é muito, muito raro. Até mesmo a Bíblia dá evidências de que Deus criou o homem a Sua imagem e semelhança, ou seja, Deus criou todos os seres vivos: gatos, cachorros, tigres, leões, mas Ele não estava satisfeito. Finalmente, Ele criou o ser humano a Sua própria imagem e semelhança. A conclusão é que, somente nesse corpo humano, conseguimos praticar o serviço devocional ao Senhor, pois Deus nos concedeu a inteligência e o poder de discriminação, e por isso conseguimos compreender as coisas. 

Como desenvolver a nossa vida espiritual? Através da associação com o sadhu [pessoa santa]: sadhu-sanga.
binu satsang vivek na hoi 
ram kripa binu sulabh na soi
Tulsidas explica no Ramcharitmanas que, sem a misericórdia do Senhor Rama (Krsna), nós não obtemos a oportunidade de associação com o sadhu. Portanto, tente entender com muito cuidado: esse corpo humano é muito, muito raro [de se obter]. Quer você acredite ou não, mas essa é a verdade: esse corpo é muito, muito raro. Deus nos dá essa forma humana para que possamos praticar o serviço devocional a Ele e chegar até a Sua morada.

Gurudev [Srila BV Narayana Maharaja] contou uma história muito bela:

Certa vez, um homem cego entrou, sem querer, em um local totalmente fechado por quatro paredes. Para sair dali só havia uma porta, mas ele não sabia onde era a saída. Portanto, ao caminhar, sem saber para onde ia, ele dava de encontro com alguma parede e batia a cabeça. Assim ele passou o dia todo, de manhã até a noite, sem encontrar a saída, e com a mente já muito perturbada, pensou: “Como vou sair daqui?”.

Tente entender essa história: todos nós estamos nessa prisão de maya e é muito difícil sair, pois não sabemos onde está a porta. Como sair? As escrituras explicam que você tem que sair desse mundo material, pois esse mundo material não é a sua morada  permanente. Mas como sair? 

Da mesma forma, aquele homem cego estava andando em círculos e não conseguia encontrar a saída. Então, pela misericórdia sem causa do Senhor, uma pessoa santa (santa-mahatma) apareceu na frente dele e lhe deu um conselho: “Ouça, se você continuar andando de um lado para o outro, você nunca vai conseguir achar a saída!”. 

E o santo continuou: “Eu vou lhe dar um conselho muito simples: para encontrar a saída, vá andando com a mão na parede e assim, quando você sentir que a parede terminou, saberá que ali é a porta”. 

Isso é simples, não é? Se você fechar os olhos e caminhar encostando nas paredes, vai encontrar a saída quando perceber que a parede acabou.

Então, seguindo as instruções da pessoa santa, o homem cego tocou na parede e começou a andar. Mas uma coisa extraordinária aconteceu: toda vez que ele se aproximava da saída, ele começava a sentir muita coceira no corpo. (Porque quando temos coceira, a sensação de coçar é muito boa... não é verdade? Por exemplo, se você tiver uma doença de pele que causa muita coceira, você coça, coça... ah! Mas depois de alguns minutos, quando começar a sair pus ou sangue do seu corpo, você vai sentir muita dor. Talvez você fique mais feliz ao se coçar, do que ao tomar um sorvete!) 

Assim, sempre que aquele homem chegava perto da saída, a coceira começava, e como ele havia tirado a mão da parede, perdia o local da porta. Logo, ele tinha que dar a volta mais uma vez... e mais uma vez, não encontrava a saída. Então ele ficou muito triste, pensando em como poderia sair dali. O sadhu já havia dado o conselho, mas sempre que ele se aproximava da porta, acontecia esse milagre, ele sentia uma coceira ao se aproximar da porta, pois maya [a energia ilusória de Deus] é muito poderosa. Ele então orou para o Senhor: “Ó Senhor, por favor me ajude a encontrar a saída!”.

Então o sadhu apareceu novamente e o repreendeu: “Ei! Eu já falei para você: é só encostar a mão na parede e andar! E quando você não sentir mais a parede, é porque já encontrou a saída”.

“Sim, mas eu já estou fazendo isso!” - disse o homem cego.

“Mas por que você tira a mão da parede e continua andando?” - disse o sadhu - “Tudo bem, então faça assim: vá caminhando com a mão na parede e cante:

Hare Krsna Hare Krsna
Krsna Krsna Hare Hare
Hare Rama Hare Rama
Rama Rama Hare Hare”

O homem cego então seguiu a instrução do sadhu (a pesssoa santa)conseguiu encontrar a saída e foi embora.

O significado (moral) dessa história é que a alma condicionada, nesse mundo, está sofrendo as três misérias que são impostas por mayaA alma condicionada é completamente cega, ela não sabe quem é Deus e como alcançá-lO. Ela não sabe qual é o processo, qual é o verdadeiro caminho para encontrar o Senhor e nem mesmo sabe quem é a pessoa que pode dar a instrução perfeita [para alcançar a Deus].

Às vezes as pessoas especulam, fazendo certas coisas, mas sem saber qual é o caminho perfeito. Algumas pessoas seguem o caminho do karma [atividades fruitivas], jnana [conhecimento que busca a liberação impessoal], yoga ou tapasya [austeridades]. E algumas pessoas pensam que é melhor ficar sem falar [mauna - voto de silêncio], vão para um local isolado e ali ficam sentadas em silêncio. Há aqueles que somente fecham os olhos e meditam. Em quem? No zero [nada]!

Dessa forma, muitas pessoas realizam diferentes atividades, completamente cegas, sem ter a mínima ideia de qual é o caminho perfeito para alcançar Deus e se libertar desse mundo material.

Portanto, as escrituras explicam que as almas condicionadas estão completamente iludidas por maya; elas não têm ideia de como chegar ao Senhor. Elas nem mesmo sabem quem é Deus e nem sequer tem ideia se Deus existe ou não. Há muitos ateus que afirmam que Deus nunca existiu. Mas como eles sabem disso? Deus falou para eles? 

Portanto, há muitas pessoas usando discursos/doutrinas completamente especulativos, pensando que Deus não é nada, zero (filosofia sunyavada). Alguns dizem que Deus é simplesmente uma refulgência, como um raio de luz...

O Senhor, misericordiosamente manifestou os Vedas, Puranas, Upanisads e o Srimad Bhagavatam. O Srimad Bhagavatam dá a evidência, mostrando qual é o caminho para se chegar a Deus. E especialmente a Bhavagad Gita, onde Krsna falou para Arjuna sobre os diferentes tipos de yoga para se alcançar o Senhor.

Yoga significa ‘conectar’, ‘unir’ - como se unir a Deus. Por esse motivo, na Bhagavad Gita estão descritos muitos tipos de yoga: karma-yoga, jnana-yoga, bhakti-yoga, raja-yoga, raja-vidya, guhya-yoga... Mas a yoga mais elevada é bhakti-yoga. Se você praticar bhakti-yoga, muito facilmente irá alcançar o Senhor e nunca mais voltará a esse mundo material. 

Mas o que é bhakti-yoga?

Bhakti significa ‘serviço devocional a Deus’ e yoga significa ‘unir’. Nessa Kali Yuga [a atual era em que vivemos], bhakti-yoga é nama sankirtan [o canto congregacional dos santos nomes].
harer nama harer nama 
harer namaiva kevalam
kalau nasty eva nasty eva 
nasty eva gatir anyatha
[“Nessa era de Kali, não há outra forma, não há outra forma, não há outra forma para a auto-realização além de cantar o santo nome, cantar o santo nome, cantar o santo nome do Senhor Hari.” (Caitanya Caritamrta, Adi 17.21)]

O  Brhad-naradiya Purana explica claramente nesse verso: kalau significa que nessa Kali Yuga não existe outro processo para se alcançar o Senhor. Por executar karma, jnanayoga ou tapasya não é possível alcançar Deus. O único processo para isso é harinama, nama-sankirtan e esse nama-sankirtan é muito fácil, não é preciso outras coisas, basta cantar os santos nomes de Deus. Bhakti-yoga é muito fácil de se praticar. Vocês todos aqui estavam cantando, dançando muito entusiasmados e felizes. Isso é bhakti-yoga.
nehabhikrama-naso ’sti
pratyavayo na vidyate
sv-alpam apy asya dharmasya
trayate mahato bhayat
[“Neste esforço, não há perda nem diminuição, e um pequeno progresso neste caminho pode proteger a pessoa do mais perigoso tipo de medo.” (Bhagavad Gita 2.40)]

Na Srimad Bhagavad Gita, Krsna disse a Arjuna que se você praticar bhakti-yoga por um dia que for, o fruto dessa bhkati-yoga estará reservado para toda a sua vida, pois o Senhor investiu todas as Suas saktis (potências) em Seus santos nomes. 

Um dia que você cante os santos nomes do Senhor, você vai sentir muita energia, realização e felicidade, e todas as suas atividades pecaminosas serão automaticamente destruídas.

Havia um homem, Ajamil, que deu a seu filho o nome de Narayana [um dos nomes do Senhor] e por esse motivo, todas as suas atividades pecaminosas foram destruídas. [Ajamil sempre chamava pelo nome de seu filho: Narayana! Narayana!]

Tendo fé (sraddha) ou não (hela, sem interesse) no cantar dos santos nomes, mesmo assim, se você cantar, irá receber os frutos. Todos vocês aqui estavam cantando e irão também receber os frutos. Porque esses santos nomes são muito poderosos e toda doçura está contida neles.
madhura-madharam etan mangalam mangalanam
sakala-nigama-valli sat-phalam cit-svaupam

sakrd api parigitam sraddhaya helaya va

bhrgu-vara! nara-matram tarayet krsnanama

[“O nome de Krsna é o mais doce dos doces e o mais auspicioso de todos os auspícios. É a trepadeira florescente e o fruto eterno e completamente amadurecido de todos os Vedas, e a personificação do conhecimento, cit-sakti. Ó mais elevado da dinastia Bhrgu! Se alguém cantar o santo nome apenas uma vez, sem ofensa, seja com fé ou com indiferença (hela), ele será imediatamente liberado desse oceano de nascimentos e mortes!” (Skanda Purana/Hari-bhakti-vilasa 11.234)]

Se você cantar os santos nomes apenas uma vez, você será liberado de todas as atividades pecaminosas e alcançará o Senhor.

Certa vez, um muçulmano foi até a floresta, pois ele precisava fazer suas necessidades e quando ele estava lá, um javali selvagem apareceu. Os muçulmanos jamais tocam os porcos; para eles, esses animais são considerados impuros, intocáveis. Na língua muçulmana, a palavra ‘intocável’ significa ‘haram’. 

Assim, quando o muçulmano viu o porco, ele começou a gritar: “Haram! Haram!”, ou seja, ‘intocável’. Mas aquele porco selvagem rapidamente se aproximou dele e o matou. E quando ele abandonou o corpo, alcançou a morada do Senhor. Mas como isso é possível? Foi porque ele disse ‘Ha-Ram’ - ‘Ha’ significa ‘Ó’ e ‘Ram’ é um dos nomes do Senhor, então na verdade ele falou: “Ó Rama!”. Veja como os santos nomes são poderosos! Portanto, vamos todos cantar. 

Gaura Premanande! Hari Hari bol!

Transcrição: Radha Madhav Das
Revisão: Nitai Dasa