Srila Bhaktivedanta Trivikrama Maharaja

17/01/2015
Rio de Janeiro

Transmitido ao vivo aqui




Hoje é um dia muito auspicioso, pois é o dia do aparecimento de nitya lila pravista om visnupada astottara sata Sri Srimad Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaj. No Sri Caitanya Bhagavata, Vrndavana Das Thakura explica que se você glorificar os Vaisnavas, ficará livre de mayamaya não poderá lhe pegar.

Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj manifestou a Sri Gaudiya Vedanta Samiti e nela havia três principais pilares: nitya lila pravista om visnupada astottara sata Sri Srimad Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj, nitya lila pravista om visnupada astottara sata Sri Srimad Bhaktivedanta Trivrikrama Gosvami Maharaj e nitya lila pravista om visnupada astottara sata Sri Srimad Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaj. Os Gaudiya vaisnavas dizem que eles são comparados aos três devatas: Brahma, Visnu e Siva.

Vyasa Deva escreveu esse belo verso:
    
        guru brahma guru visnu 
        gurudevo mahesvara 
        guru saksah parabrahmam
        tasmai sri gurave namaha 
        (Garga-samhita 4.1.13 /Hari-Bhakti-vilas 4.139)

Esse verso explica que guru é comparado a esses três devatas, primeiro porque gurudeva cria bhakti no coração do devoto. O dever de Brahma é realizar a criação, e da mesma maneira o guru cria suddha-bhakti no coração do bhakta, através de nama e mantra.

        brahmanda bhramite kona bhagyavan jiva
        guru-krishna-prasade paya bhakti-lata-bija
        mali hana kare sei bija aropana
        sravana-kirtana-jale karaye secana

[“Nadando por este Universo por repetidos nascimentos e mortes, por extrema boa fortuna, uma alma condicionada irá encontrar um sadhu fidedigno e receber diksa e harinama deste sadhu. E de todos os mais variados tipos de diksas espirituais, ouvir hari-katha de um Vaisnava elevado vraja-rasika é a maior de todas.” (Sri Caitanya Caritamrita, Madhya 19.151 - 152)]


Sri Caitanya Mahaprabhu diz a Srila Rupa Gosvamipada que a jiva está perambulando pelo ciclo de repetidos nascimentos e mortes, mas se ela for extremamente afortunada, tomará abrigo aos pés de lótus de guru; e é pela misericórdia sem causa de guru que ela recebe nama e mantra (diksa). Da mesma maneira, guru cria suddha-bhakti no coração de seu discípulo através de nama e diksa-mantra.

Narada Rsi também pode ser comparado a Brahma porque ele deu nama e mantra a Dhruva Maharaj, Pralhada Maharaj e muitos outros devotos, criando bhakti em seus corações.

Srila Visvanath Cakravarti Thakura dá o exemplo da figueira-da-bengala: o fruto da figueira-da-bengala é pequenino e possui dentro de si milhares de sementes. Se algum pássaro se alimenta desse fruto e depois defeca, então no local onde ele defecou, irá brotar outra figueira-da-bengala. Mas se o fruto cai da árvore, essas sementes não irão brotar. Por que? Porque quando os pássaros digerem esse fruto, seus estômagos produzem um tipo de ácido que estimula as sementes a brotarem no solo.

Da mesma maneira, quando o guru dá namadiksa-mantras e também hari-katha, ele planta no coração do discípulo um humor específico que aí sim irá brotar. Esse é o processo.

Hari-katha não é em nada diferente de nama e diksa-mantrahari-katha é importantíssimo. Sukadeva Gosvamipada deu diksa a Paraksit Maharaj através de hari-katha; portanto, hari-katha é o mais importante. Mas as pessoas comuns não entendem e pensam que hari-katha não é nama e diksa, mas sim, hari-katha é nama e diksa, também chamado de bhagavatya-diksaHari-katha é muito poderoso e não é nada menos que nama e diksa.

Então, Caitanya Mahaprabhu diz a Srila Rupa Gosvami: brahmanda bhramite kona bhagyavan jiva [...]

As entidades vivas estão vagando no repetido ciclo de nascimentos e mortes e aquelas que forem extremamente afortunadas irão se associar com o sadhu, guru, Vaisnavas e receber namamantra (diksa) e então bhakti-lata vai se manifestar. Esse é o processo. Por essa razão guru é comparado a Brahma.

Guru Brahma - O guru cria a semente de bhakti no coração do discípulo através do namadiksa-mantra e hari-katha. Da mesma forma, Brahmaji realiza a criação.

Guru Visnu - O dever de Visnu é manter todos os seres vivos e o guru nutre a todos os devotos com hari-katha.

Guru Siva [gurudevo mahesvara] - Guru é comparado a Sivaji, pois Sivaji é o encarregado da destruição e da mesma maneira, o guru, através de seu castigo pesado, destrói os anarthas do coração do discípulo através de seu hari-katha. Sem ouvir hari-katha, os anarthas jamais serão destruídos do coração.

Srila BV Narayana Maharaj, Srila BV Vamana Maharaj e Srila BV Trivikrama Maharaj


Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj é comparado a Brahma, pois ele criou nama-diksa (suddha-bhakti) no coração de todos os devotos da Gaudiya Vedanta Samiti, e de acordo com as regras e restrições, ele é o acarya e o licenciador. Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaj é comparado a Visnu, pois ele sempre nutriu o coração de todos os devotos, através de seu belíssimo e doce vraja hari-katha e Srila Trivikrama Gosvami Maharaj, de quem comemoramos o divino aparecimento hoje, é comparado ao Senhor Siva, porque seu hari-katha é como um raio que destrói todos os anarthas.

Portanto, nesse auspicioso dia, eu irei glorificar Srila Trivikrama Gosvami Maharaj e as suas importantes contribuições a Gaudiya Vedanta Samiti.

Srila Trivikrama Gosvami Maharaj deixou o seu lar e se rendeu completamente aos pés de lótus de Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj.  Ele era formado em Engenharia.

Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj, Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaj e Srila Bhaktivedanta Trivikrama Maharaj serviam perfeitamente ao seu gurudeva, Srila Bhaktivedanta Prajnana Kesava Gosvami Maharaj.

Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaj abandonou o seu lar e passou a morar na matha [templo], vivendo como brahmacari. Muitos de seus familiares iam repetidas vezes ao templo, no intuito de lhe fazer voltar para casa, mas Srila Trivikrama Gosvami Maharaj sempre dizia: “Não. Eu vou servir o meu guru”.

Srila Trivikrama Gosvami Maharaj disse que o seu coração se derreteu ao ler o seguinte sloka do Srimad Bhagavatam:

        labdhva su-durlabham idam bahu-sambhavante
        manusyam artha-dam anityam apiha dhirah
        turnam yateta na pated anu-mṛtyu yavan
        nihsreyasaya visayah khalu sarvatah syat

[“Após muitos e muitos nascimentos e mortes, a rara forma humana de vida é alcançada e, apesar de temporária, concede a oportunidade de se alcançar a mais elevada perfeição. Portanto, um ser humano sóbrio deve rapidamente se esforçar para alcançar a perfeição suprema da vida, enquanto que seu corpo, sempre sujeito à morte, ainda não pereceu. Afinal, a gratificação dos sentidos está disponível até mesmo nas mais abomináveis espécies de vida, enquanto que a consciência de Krsna é possível apenas para um ser humano.” (Srimad Bhagavatam 11.9.29)]

Ele recitava esse sloka todas as vezes durante seus hari-kathas. Esse sloka diz que o corpo humano é raríssimo, pois a jiva, após passar por 8.400.000 espécies de vidas, recebe do Senhor Supremo a oportunidade de ter uma vida humana.  Ela não deve ficar apenas realizando as quatro atividades de animais: dormir, comer, acasalar-se e se defender, pois isso ela consegue em qualquer espécie de  vida. É como mastigar o mastigado, pois já fizemos essas quatro atividades nessa e em outras vidas. Porém, hari-kathanamadiksa e um guru fidedigno, são extremamente raros de se obter.

Certa vez, eu ouvi dos próprios lábios de lótus de Srila Trivikrama Gosvami Maharaj este verso do Caitanya Bhagavata, em que Vrndavana Das Thakura explica:
        
        sei se parama bandhu, sei pita-mata
        sri-krsna-carane yei prema-bhakti-data
        sakala janme mata-pita sabe paya
        krsna guru nahi mile, bhajaha hiyaya

[“Aquele que estabeleceu o meu relacionamento com Krsna, é meu amigo supremo, minha mãe e pai. Ele é guru.” (Caitanya Mangala, Madhya-khanda) 

Sakala janme mata-pita paya, ou seja, você já obteve mãe e pai em todas as vidas anteriores, isso é comum, mas, krsna guru nahi mile, não é em toda vida que se obtém um guru fidedigno. Talvez você consiga um guru estúpido, que fuma ganja... Esse tipo de guru talvez você obtenha. Na verdade você já teve esses tipos de gurus em outras vidas, em várias vidas. Mas é raríssimo obter um guru fidedigno. 

Sakala janme mata-pita sabe paya... Não é em toda vida que você vai obter um guru fidedigno, mas agora, se você tem um guru fidedigno, mas não está seguindo suas instruções, não está realizando bhanaja e sadhana, não está em sadhu-sanga, o que vai acontecer? Você tem um guru fidedigno, mas não se associa com ele e não escuta o seu hari-katha, então que benefício você terá? Um pouco de sukriti.

Não posso dizer que você não vai ganhar nada, você ganhar um pouco de sukriti. Mas sem ouvir hari-katha, Bhakti-devi jamais irá se manifestar em seu coração e seu coração não ficará livre dos anarthas.

Srila Trivikrama Gosvami Maharaj, em todos os seus hari-kathas, sempre citava este importante verso:

        srnvatam sva- kathah krsnah
        punya-sravana-kirtanah
        hrdy antah sthi hy abhadrani
        vidhunoti suhrt satam

[“Sri Krsna, a Personalidade de Deus, que é o Paramatma [Superalma] no coração de todos e o benfeitor do devoto genuíno, limpa o desejo pelo desfrute material do coração do devoto que desenvolveu a avidez por ouvir Suas mensagens, virtuosas por si só, quando ouvidas e cantadas de forma apropriada.” (Srimad-Bhagavatam (1.2.17)]

Srnvatam significa ‘ouvir hari-katha’. Sem ouvir hari-katha, os seus anarthas nunca, nunca serão removidos. O Srimad Bhagavatam dá essa evidência. Visvanath Cakravati Thakura explica no seu Madhurya Kadambini que, mesmo cantando os santos nomes, o seu coração não irá se limpar. Por que? Quais santos nomes você está cantando? A maioria é nama-aparadha e às vezes, nama-abhasa.

Mas ouvir hari-katha é sabda-brahma, o som que emana da boca de lótus dos suddha-bhaktas, e esse hari-katha entra pelos seus ouvidos, bate direto em seu coração e destrói todos os seus anarthasHari-katha é muito importante

        nasta-prayesv abhadresu
        nityam bhagavata-sevaya [...]

[“Servindo regularmente ao Bhagavata (o devoto puro), tudo o que é inauspicioso é destruído quase a zero.” (Srimad-Bhagavatam 1.2.18)]

Esses slokas inspiraram Srila Trivikrama Maharaj a se render aos pés de lótus de seu Gurudeva e fez com que ele rejeitasse a sua profissão de engenheiro, embora fosse muito bem-conceituado. Fez também com que ele se refugiasse aos pés de lótus de Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj. 

Ele também contava que seus familiares e sua esposa iam encontrá-lo, todos chorando, pedindo para que ele voltasse para casa. Certa vez, a esposa de Trivikrama Gosvami Maharaj foi até o templo e disse que se ele não voltasse para casa com ela, ela iria ficar ali em seu asram, morando com ele. Então ele disse: “Aqui é um asram de brahmacaris e se você ficar aqui, eles irão lhe chutar para fora”. Ela respondeu: “Se eles me chutarem para fora daqui, eu irei pegar uma lata de querosene e despejar o líquido sobre a minha cabeça!”. 
Então Trivikrama Maharaj concluiu: “Sim. E eu vou atear o fogo em você, não há nenhum problema. Mas mesmo que você morra aqui, eu não vou deixar o asram e os pés de lótus de meu gurudeva”.

O próprio Srila Trivikrama Gosvami Maharaj contou isso para nós.
Depois de algum tempo, sua esposa e familiares perderam completamente as esperanças e acabaram voltando para casa. 

Srila Trivikrama Gosvami Maharaj se rendeu totalmente aos pés de lótus de seu guru. Em pouco tempo, ele foi iniciado e recebeu o nome de Radhanath Das Adikari. Ele tinha a sua oratória muito pesada e sempre falava a verdade de forma direta; nunca usava de diplomacia em suas palavras. Às vezes, quando os palestrantes Vaisnavas falam, é de maneira muito calma e pacífica, mas ele sempre castigava severamente quem quer que ouvisse o seu hari-katha

        jivera ‘svarupa’ haya -- krsnera ‘nitya dasa’
        krsnera ‘tatastha-sakti’ ‘bhedabheda-prakasa

[“A posição constitucional da entidade viva é ser uma serva eterna de Krsna, pois ela é a a energia marginal do Senhor e uma manifestação simultaneamente igual e diferente dEle, como  uma partícula molecular do sol ou do fogo. Krsna possui três tipos de energia.” (Caitanya Caritamrta, Madhya 20.108)]

Esse era o primeiro verso que ele sempre citava antes de iniciar o seu hari-katha. A jiva é serva eterna de Krsna. E depois, ele também sempre mencionava um outro verso sobre a importância de se abandonar a má associação.

Certo dia, eu perguntei a Srila Trivikrama Maharaj: “Maharaj, todo dia o senhor diz o mesmo verso em seu hari-katha! Já se passaram três meses, quatro meses e estamos no final de Caturmasya e o senhor sempre repete o mesmo verso: jivera svarupa haya… Maharaj, por que sempre diz o mesmo hari-katha?”

E então Maharaj respondeu: “Ei! O mesmo hari-katha? Não! Esse verso tem que ser ouvido de novo e de novo, milhões e milhões de vezes! Só assim é que alguma impressão surgirá. Não é como o papagaio, que repete dez vezes o Hare Krsna Rama Rama, mas quando o gato o ataca, ele diz: ‘cué cué cué!’ Somente por ouvir repetidas vezes, essa realização virá: ‘Sim, eu sou servo(a) eterno(a) de Krsna’”.

Um exemplo é de quando você está no aeroporto e olha para a televisão, onde passa sempre a mesma sequência de anúncios, o tempo todo. Por que isso? Porque essa é a maneira pela qual os anunciantes estabelecem impressões para aqueles que estão assistindo e que assim terão vontade de comprar sapatos, bolsas, etc. Da mesma maneira que assistir constantemente o mesmo filme cria impressões, ouvir o verso jivera ‘svarupa’ haya -- krsnera ‘nitya dasa’ [...] repetidas vezes, irá também criar a impressão: “Oh! Sim, eu sou servo(a) eterno de Krsna”.

Na maior parte dos hari-kathas de Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaj ele explicava como destruir os anarthas de nossos corações, e como krsna-bhakti ou impressões, manifestam-se em nossos corações. Externamente ele parecia ser muito duro, rígido, mas dentro de seu coração ele era macio, terno. Assim como um coco que por fora tem a casca dura, mas por dentro, sua poupa é muito mole.

Srila Trivikrama Gosvami Maharaj estava sempre dando vedanta-darsanhari-katha sobre tattva-siddanta, mas toda vez em que nosso querido gurudeva Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaj começava o seu hari-katha sobre as gopis, Srila Trivikrama Maharaj ficava sempre muito ávido para ouvir, mas externamente, ele o olhava e dizia: “Ei Maharaj! Por que o senhor fica dando gopi-katha toda hora?”

No parikrama de Sri Navadvipa-dhama, milhares e milhares de pessoas iam participar com Srila Narayana Gosvami Maharaj, com Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj e Srila Trivikrama Gosvami Maharaj. Então, Srila Gurudeva falava um hari-katha sobre determinado tattva-sidanta e Srila Trivikrama Gosvami Maharaj sempre cortava o seu hari-katha e estabelecia seu próprio siddhanta. Depois, Srila Bhaktivedanta Vamana Maharaj restabelecia o que Srila Narayana Gosvami Maharaj havia dito.

Dessa forma, todos ficavam muito ávidos para ouvir o hari-katha desses três devas, Brahma, Visnu e Siva. Especialmente em Navadvipa-parikrama, quando visitávamos o local sagrado Samudragat, nosso Srila Gurudeva fazia o papel de Samudra Sen, enquanto que Srila Trivikrama Maharaj fazia o papel de Bima Sen, como se estivessem encenando uma peça de teatro.

Porque ali Bima Sen tinha brigado com Samudra Sen e Samudra Sen tinha derrotado Bima Sen, então Srila Gurudeva e Srila Trivikrama Maharaj faziam o papel de cada um. e era como um teatro muito interessante. Quando chegava no final da noite, Srila Bhaktivedanta Vamana Maharaj estabelecia o que Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaj havia dito em seu hari-katha nesse local sagrado.

A primeira vez em que me encontrei com Srila Trivikrama Gosvami Maharaj foi na cidade de Chuchura [Chinsurah]. Eu vim de Navadvipa para Chuchura, e de manhã eu havia tomado muito pouco prasada. Quando cheguei, eram duas da tarde e Srila Trivikrama Gosvami Maharaj me perguntou, com um humor bem sério: “Ei! Você tomou prasada ou não?”

E eu pensei: “Oh! Meu Deus! Que tipo de sadhu é esse?”. Eu estava com muita fome,  e ele me perguntou com aquele seu jeito, se eu havia tomado prasada ou não! Mas cheio de amor e afeição, ele mesmo cozinhou e serviu a prasada para todos os devotos.

No templo, ninguém conseguia ficar perto dele, apenas um brahmacari, pois ele era muito duro. A maioria dos brahmacaris que tentavam ficar com ele, ficavam no máximo por um dia, às vezes meio-dia e depois já iam embora correndo. Ele estava sempre repreendendo de uma maneira muito forte e, se o devoto cometia qualquer errinho, dava-lhe um grande tapa.

Mas eu vi com meus próprios olhos que Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaj estava sempre engajado vinte e quatro horas por dia em prestar serviços devocionais. Ele sempre fez tudos com suas prórpias mãos. Lavava suas roupas, cozinhava, limpava, adorava thakuraji e ainda saía a fim de coletar alimentos para o templo, montado em uma bicicleta, assim como eu fiz. 

Na época, nós tinhamos oito ou dez vacas e ele mesmo cuidava delas. Ele sempre estava acompanhado de um único brahmacari, chamado Haridas prabhu, que hoje é sannyasi. Percebi também que ele descansava muito pouco. Às onze horas da noite ele se deitava, pois ele ficava limpando tudo. Seu templo estava sempre muito limpo e  quando ele via algum brahmacari limpando de maneira errada ele dizia: “Tem uma mancha ali, outra mancha aqui”. E então ele mesmo limpava tudo de novo e dava uma bronca bem pesada no brahmacari. No dia seguinte, antes do mangala arati começar, o brahmacari ja tinha ido embora.

Então, Srila Trivikrama Gosvami Maharaj ia se deitar às onze, onze e meia. E depois, às três e meia, quatro horas, já estava de pé de novo, cantando os santos nomes. Às cinco horas da manhã, de maneira rápida, ele cuidava das vacas, voltava e tomava seu banho para realizar o mangala arati e oferecer bhoga para thakuraji. Dessa maneira, eu vi que Srila Trivikrama Gosvami Maharaj ficava vinte e quatro horas por dia servindo e ele não dependia de ninguém.

Srila Narayana Gosvami Maharaj nos contou que, quando Param Guru Maharaja Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj estava prestes a partir deste mundo material, ele chamou os três pilares, Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaj, Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj e Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaj.

Então Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj disse a Srila Trivikrama Gosvami Maharaj: “Acho que quando eu partir, você deve se tornar o acarya”.

Srila Trivikrama Maharaj então respondeu honestamente a seu gurudeva:  “Gurudeva, como é possível que eu me torne o acarya? Eu não posso ter nenhum discípulo. Se eu fizer algum discípulo, ele não permanecerá comigo, pois eu tenho essa natureza muito pesada, não é uma natureza leve. E se eu fizer um ou dois discípulos, eles não permanecerão comigo e no dia seguinte vão embora! Portanto, em minha vida, eu não vou ter nenhum discípulo!”.

Srila Trivikrama Gosvami Maharaj dizia: “Tudo bem, se você quer ser meu discípulo siksa. Mas eu não lhe darei namadiksa”.

Alguns ocidentais se aproximavam dele pedindo diksa, mas ele dizia: “Se quiserem ser discípulos siksa, ouçam o meu hari-katha. Eu prometi a meu gurudeva que jamais daria diksa-mantra a ninguém. Pois eu conheço minha natureza”. E assim, ele jamais teve um discípulo. 

Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj fez a mesma pergunta a Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaj, e assim ele respondeu muito humildemente: “Mas como é possível que eu assuma a posição de acarya? Srila Vamana Gosvami Maharaj é muito mais qualificado do que eu, ele é sênior. Ele recebeu harinama de Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati Prabhupada! Srila Trivikrama Gosvami Maharaj também é sênior a mim, e eles são extremamente qualificados. E outra coisa, eu também sou um pouco pesado”.

Às vezes Srila Gurudeva [Srila Narayana Gosvami Maharaj] não era fácil e dava um tapa tão grande na cabeça de alguém que a pessoa ficava três dias dormindo.

Finalmente, Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj se dirigiu a Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj, que era sempre calmo e quieto. Ao ouvir a mesma pergunta, Srila Gurudev (Vamana Maharaja) repondeu: “O que você deseja, gurudeva? o seu desejo é o meu desejo. Então, Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaja disse: “Depois de minha partida, você se tornará o acarya”.

Quem teve a imensa boa fortuna de conhecer Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj? Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj, em seus últimos momentos, estava completamente absorto em seu samadhi-dasa, já não falava mais nada e só vertiam lágrimas de seus olhos, assim como ocorreu com Srila Madhavendra Puripad.

Srila Bhaktivendata Vamana Gosvami Maharaj sempre teve um humor muito calmo e quieto, sempre realizando bhajana e sadhana. Se alguém viesse dizer que dois brahmacaris estavam brigando, ele nunca os castigava ou ficava irritado. Ao invés disso ele sempre dizia:  “Vá até Narayana Maharaja, ele é o administrador, ele é meu guardião.

Assim, após a partida de Srila Bhakti Prajnana Kesava Gosvami Maharaj, Srila Bhakti Raksaka Sridhara Dev Gosvami Maharaj e seu gurudeva Srila Bhakti Srirup Siddhanti Maharaj, vieram juntos a Gaudiya Vedanta Samiti e estabeleceram o estatuto com um documento oficial nomeando Srila Bhaktivedanta Vamana Gosvami Maharaj como o acarya, e assim sucessivamente estabeleceram quem seriam os vice presidentes. Esta é a história do estatuto da nossa Gaudiya Vendanta Samiti.

Jay Srila Bhaktivedanta Trivikrama Gosvami Maharaj ki Jay!

Transcrição: Manjari Priya Devi Dasi
Revisão: Tulasi Dasa